Para a vítima, Cleiton Barbosa Costa, mais por reflexo do que ato de defesa, ainda restou um átimo de vida: saiu correndo mas caiu

PORTO VELHO – Ninguém deu muita atenção quando aquela moto vermelha estacionou na esquina da Rua Miguel Calmon com a 18 de Janeiro, no bairro Caladinho, até porque o local é uma borracharia muito procurada por clientes. E todos se mantiveram nas atividades que já vinham fazendo àquela hora, alguns preocupados porque apesar do sol forte estava ameaçando cair uma chuva.

Por isso a moto que parou em frente à borracharia “Fé em Deus” parecia mesmo se tratar de um cliente. Mas ao invés de querer algum serviço, o motoqueiro estacionou, desceu e sem falar nada puxou uma arma e deu vários tiros no dono do local, acabando com a paz da tarde desta segunda-feira.

Para a vítima, Cleiton Barbosa Costa, mais por reflexo do que em ato de defesa, ainda restou um átimo de vida: saiu correndo mas caiu, quando o pistoleiro aproximou-se aplicando o coup de grâce, enquanto as pessoas, aturdidas, ainda chocadas, estavam tentando entender o que acontecia.

Depois de dar o “tiro de misericórdia”, conforme pessoas ouvidas no local, o matador “vazou” da área, enquanto moradores tentavam socorrer Cleiton que levou quatro balaços em vários locais do corpo e o último na cabeça.

“Foi execução”, segundo um morador disse ter ouvido de um policial que atendeu à ocorrência, o que pode ser verdade em razão das características do homicídio, sem discussão e sem chance da vítima esboçar qualquer tentativa de reação.

www.expressaorondonia.com.br

Print Friendly, PDF & Email