Áudios dizem que tragédia aconteceu perto de Vilhena, mas ninguém confirma

VILHENA – Muitas das reportagens publicadas por este site são apuradas a partir de informações colhidas através do WhatsApp, seja pelo envio feito por leitores ou extraídas de grupos no aplicativo. O FOLHA DO SUL ON LINE reconhece, portanto, a importância desta ferramenta ágil e cheia de recursos tecnológicos. Porém, o “Zap” também é o maior disseminador de mentiras e informações incompletas e distorcidas, que confundem as pessoas e demanda grande responsabilidade de quem apura os fatos.

Eis um exemplo de mau uso do aplicativo: dois vídeos que a Folha recebeu, junto com áudios dizendo que a tragédia teria acontecido nas proximidades de Comodoro, cidade de Mato Grosso, a 100 km da divisa com Rondônia, e que faz parte da área de cobertura do site.

Um dos vídeos mostra, com crueza, um motorista dentro da cabine, completamente carbonizado. Embora na própria peça não haja qualquer referência a data, local ou nome da vítima, áudios à parte, viralizados junto com o material, garante que a morte trágica teria acontecido “perto de Vilhena, depois de Comodoro”.

O site buscou apurar detalhes da desgraça junto a PRF de Pontes e Lacerda (MT), a Polícia Civil de Comodoro e também contatando caminhoneiros e frotistas de Vilhena e outras cidades. Ninguém sabia do episódio, indicativo de que se trata de uma fake news de mau gosto, espalhada sem nenhum critério ou responsabilidade.

E é justamente essa a diferença entre as informações colhidas diretamente do WhatsApp, sem fontes ou um mínimo de dados, e aquelas checadas por veículos de comunicação. Obviamente, a imprensa erra muito, e quase todos os dias. Mas, nenhuma de suas falhas se compara ao material virtual divulgado sem origem, sem detalhes, sem nada, baseado apenas nos velhos conceitos “me disseram”, “parece que foi”, “eu acho que é…”

Pode ser que, quem sabe, com o tempo, se chegue à veracidade do que aconteceu. No momento, nada confirma que o acidente se passou onde o autor dos áudios diz que foi.

CLIQUE AQUI e abaixo e assista os dois vídeos trágicos e aterradores.

ATUALIZAÇÃO – Logo após a publicação do texto acima, leitores enviaram informações sobre o local onde realmente aconteceu a fatalidade. Conforme um site do Paraná, que deu detalhes do ocorrido, a tragédia foi registrada no dia 18 de novembro, numa rodovia estadual de lá.

Fonte: Folha do Sul on Line