O povo na banda /Fotos do Facebook de Julio Olivar

PORTO VELHO – Durante uma hora, entre 16h e 17h, cerca de cem pessoas procedentes dos bairros Areal, Floresta, Novo Horizonte e outros da zona sul de Porto Velho passaram a pé em frente à Redação do Expressão, na Rua Tenreiro Aranha.

Nesse ritmo e, repetindo-se a frequência de brincantes vindos de outros bairros, a Banda do Vai Quem Quer novamente surpreenderá no desfile iniciado antes do fim da tarde deste sábado.

O maior bloco da região norte do País deixou a praça, rumo à região central de Porto Velho. No ano passado, segundo estimativa de policiais e dos organizadores do carnaval, mais de cem mil pessoas participaram do desfile. Semelhante estimativa é feita para 2017.

Aos 37 anos de existência, a banda promove um fenômeno de massa que põe aproximadamente quatrocentos policiais militares nas ruas. Eles darão segurança ao desfile carnavalesco. A banda também contratou seguranças para manter a ordem.

Cem banheiros químicos e grades delimitam a passagem dos brincantes em áreas interditadas, informa a Prefeitura da Capital.

O tema das marchinhas deste ano se abre a maracutaias e impunidade na política brasileira. A banda segue o percurso de sempre, pela Avenida Carlos Gomes, dobrando na Rua Joaquim Nabuco até a Avenida 7 de Setembro, onde encerra o desfile, nas proximidades da Praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.


Repórter Emerson Medellín, da RedeTV, fala dos 37 anos da Banda