PORTO VELHO – O presidente do Sindicato dos Servidores do Detran (Sinsdet), Adonias de Deus, defendeu nesta terça-feira (19) a necessidade da realização contínua do trabalho de manutenção do sistema de Tecnologia de Informações (TI) e das fiscalização sistematizadas dos serviços da gestão do trânsito em todo Interior, como meio para assegurar a prestação regular de serviços ao cidadão.

Adonias de Deus: “limitar ou reduzir a presença (viagens) dos técnicos aos órgãos do Detran no Interior é reduzir a fiscalização e a educação de trânsito”,

A afirmação do representante dos servidores da autarquia é, na verdade, uma reposta às incursões sobre o tema das diárias que movimentou a mídia e os meios políticos esta semana em Rondônia. Segundo ele, o Detran está presente nos 52 municípios de Rondônia com um conjunto de ações que demanda serviços e mão de obra especializados, para manter em grau de satisfação os múltiplos serviços que presta à coletividade. “Limitar ou reduzir a presença (viagens) dos técnicos aos órgãos do Detran no Interior é reduzir a fiscalização e a educação de trânsito”, disse explicando a necessidade da realização das viagens técnicas dos servidores.

Demonstrando estar inteirado das necessidades da autarquia, Adonias de Deus disse que para estar presente em todo Estado, abrangendo toda sua extensão, e levar serviços de qualidade com o uso de tecnologia de ponta, a autarquia tem de manter um sistema de apoio contínuo em praticamente todas essas localidades, com técnicos e servidores especializados para manutenção e orientação sobre o uso dos mais diversos sistemas e programas, que ainda exigem a presença física desses servidores.

Ele explicou que essa necessidade do Detran é a justificativa elementar para os deslocamentos de servidores a serviço nesses postos. A Coordenadoria de Tecnologia de Informação (CTI) está entre os setores da autarquia com o maior número de viagens em 2018, com servidores técnicos eletricista, de manutenção de máquinas e até de programadores e analistas de sistemas, que são considerados fundamentais para manter o complexo do TI atualmente em operação em condições de responder as demandas sempre crescentes por serviços.

Neste ponto, importa destacar que o Detran conta, por exemplo, com três eletricistas no seu quadro funcional, e desses apenas um é especializado em manutenção do sistema de TI e responsável pela assistência a todas as unidades da autarquia que operam nos 52 municípios do Estado.

De acordo com dados Detran, a frota de veículos de Rondônia saltou de 432 mil unidades em 2008, para quase 1 milhão de automóveis em 2019. Estudando esses números, o presidente Adonias de Deus disse que não é preciso ser técnico para entender que o aumento da frota e consequentemente a expedição da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) geram naturalmente uma procura maior por serviços, pessoal, custos e todos os elementos de manutenção da gestão.

Adonias de Deus chegou a ser taxativo ao defender o pagamento de diárias para os servidores que realizam serviços fora da base em Porto Velho, destacando que a diária é um instrumento legal para suportar as despesas do servidor em serviço fora de seu domicílio. “A concessão de diária é uma medida legal e necessária para o funcionamento adequado da administração da autarquia”.

De acordo com levantamento feito pelo Detran, entre os setores do órgão que também se destacaram na realização de serviços fora de sua sede no ano passado estão a CTI, Gestão de Pessoas, Educação de Trânsito, Capacitação para Formação de Condutores (CFC), Fiscalização e Vistoria de CFC (Comissão Examinadora), Semana Nacional de Trânsito e Manutenção Administrativa, áreas centrais e consideradas fins na estrutura organizacional do Detran.