Preocupada com a crescente queda das demandas do setor produtivo do Estado, a Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO) vem se reunindo com as entidades sindicais profissionais, no intuito de traçar alternativas para driblar a crise instalada no País, em função do Coronavírus (Covid-19).

A FIERO sugere a adoção de medidas que ao mesmo tempo garantam a manutenção da atividade industrial, evite aglomeração de pessoas, como forma de inibir a propagação da doença. Neste momento deve se priorizar a saúde e o emprego dos trabalhadores da indústria rondoniense.

Em função desta restrição dos negócios a FIERO também preocupada com os impactos que a pandemia pode gerar na economia do Estado, espera que o governo estadual e as instituições financeiras de fomento adotem medidas para salvaguardar os negócios das indústrias locais.

O anseio da Federação se baseia na eminente queda na atividade industrial nestes próximos três meses (abril a junho), e que pode comprometer a saúde financeira das micros, pequenas, médias e grandes empresas. Espera-se que os bancos prorroguem as operações de crédito com vencimentos durante este período, bem como que se postergue o recolhimento do ICMS, por parte do governo estadual.

A FIERO acredita que neste momento de crise, a junção de esforços e a mútua colaboração, se traduzem no melhor remédio para superar os obstáculos. A entidade crê que essas medidas servirão para dar um fôlego a toda cadeia produtiva de Rondônia.

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social FIERO