Em algumas cortes europeias, cujos reis eram católicos, era prática na 5ª feira Santa os reis lavavam os pés de suas cortes reais

PORTO VELHO – “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo ao Pai, como amasse os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou. 2.Durante a ceia – quando o demônio já tinha lançado no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de traí-lo –, 3. sabendo Jesus que o Pai tudo lhe dera nas mãos, e que saíra de Deus e para Deus voltava, 4.levantou-se da mesa, depôs as suas vestes e, pegando duma toalha, cingiu-se com ela. 5.Em seguida, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido.” (João Cap 13).

Este ano, devido às determinações arquidiocesanas, com base em decretos assinados pelo governador do Estado, o arcebispo dom Roque Paloshi determinou não ter concentração de pessoas nas celebrações e, por isso, durante o tríduo Pascal, nesta quinta a Missa da Ceia do Senhor (cerimônia do lava-pés), sexta a Ação Litúrgica da Paixão do Senhor e sábado a Vigília Pascal, como já vem acontecendo, as igrejas católicas estarão sem público, com celebrações através de recursos do facebook.

Historicamente há citações de que a cerimônia, às quintas-feiras da Semana Santa, praticada por diversas denominações cristãs, tenha se originado na tradição de hospitalidade de alguns povos antigos, ocasião em que o anfitrião, ao receber um hóspede, providenciava uma vasilha com água e um servo para lavar-lhe os pés. O fato tem citações diversas no Antigo Testamento (Gênesis 18:4, Gênesis 19:2, Gênesis 24:32, Gênesis 43:24 e I Samuel 25:41).

Em João, Capítulo 1, versículo 15, “…durante a (última) ceia, …. (Jesus) levantou-se da mesa, tirou as suas vestes e, tomando uma toalha, cingiu-se; depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxuga-los com a toalha com que estava cingido”.

O costume de lavar os pés, no rito da Igreja Católica Romana, pode ser observado por volta do século XII, com citações de que um papa lavou os pés de várias pessoas após a missa da 5ª feira, mas a inclusão oficial no missa só aparece após determinação do papa Pio XII, no Século XX. Em algumas cortes europeias, cujos reis eram católicos, era prática na 5ª feira Santa os reis lavavam os pés de suas cortes reais, o que foi mantido ainda até o início do Século XX, por reis da Espanha e da Áustria.