Com uma vocação natural na produção agropecuária, Rondônia tem muito ainda a avançar no setor produtivo. E a Comissão de Agropecuária e Política Rural (CAPR), da Assembleia Legislativa iniciou seus trabalhos nesta terça-feira (26) com o foco em discussões como a regularização fundiária, questões ambientais, fortalecimento das agroindústrias, cafeicultura, piscicultura, crédito rural, produção leiteira, entre outros assuntos.

Foto: Ronaldo Affonso

O presidente é o deputado estadual Cirone Deiró (Pode), o vice-presidente é Lazinho da Fetagro (PT). Os membros efetivos são os deputados Adelino Follador (DEM), Chiquinho da Emater (PSB) e Luizinho Goebel (PV). Os suplentes são Edson Martins (MDB) e Marcelo Cruz (PTB).

“A agropecuária é a mola propulsora e precisamos fortalecer o setor. Temos que levar incentivos, levar as condições para que o produtor rural seja valorizado e possa se desenvolver ainda mais. Vendemos ainda muitos produtos in natura, e precisamos beneficiá-los, para gerar mais empregos e agregar valor”, disse Cirone.

Lazinho aproveitou para pontuar a necessidade de se discutir o fortalecimento da produção leiteira, uma vez que o preço do litro do produto tem caído, prejudicando aos pequenos produtores. “Esta Comissão precisa também debater essa questão, pois o leite sustenta muitas famílias de pequenos produtores nesse Estado”.

Foto: Ronaldo Affonso

Follador alertou para que a política voltada ao setor produtivo, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), que na visão dele, precisa ser mais do que a mera realização de uma feira anual. “A maior fatia do orçamento da Seagri é gasta na realização da Rondônia Rural Show, que é importante, mas temos que ter mais projetos voltados ao produtor rural”.

Adelino também disse que foram entregues tratores, no ano passado, que não conseguem puxar as grades aradoras de 14 discos. “Quem fez esse projeto não conhece o trabalho no campo e a situação é vexatória”.