PORTO VELHO – O reajuste extorsivo de mais de 27 por cento na conta de energia elétrica do rondoniense será um dos gritos de protesto a ecoar em meio a multidão de mais de cem mil pessoas que a Banda do Vai Quem Quer arrasta todos os anos. O Movimento Oficial contra o Aumento da Tarifa de Energia Elétrica, e a presidente da Banda do Vai Quem Quer, Sicília Andrade (Siça), firmaram uma parceria em favor dos consumidores de Rondônia. Amanhã, sábado de carnaval, a Banda vai entoar uma marchinha carnavalesca contra o aumento abusivo da energia elétrica no Estado e conclamar os foliões para um protesto na folia.

A letra da marchinha contra o aumento da luz foi composta pelo compositor Silvio Santos, o Zé Katraca, que é o compositor do hino oficial da Banda. O desfile da Banda do Vai Quem Quer é um dos mais tradicionais da região Norte e neste ano será a 39ª edição desse carnaval de rua. Amanhã, 2 de março, a partir das 14h, começa a concentração e depois haverá o tradicional percurso pela avenida Carlos Gomes (saída da praça das Caixas D’Agua), rua Joaquim Nabuco e avenida Sete de Setembro.

“Neste ano vamos unir folia e protesto. A Banda está do lado do povo, que não pode pagar um aumento tão grande no preço da energia elétrica. Estamos em parceria com quem também defende os direitos dos rondonienses. Faremos uma grande folia com cidadania”, disse Siça.

Siça Andrade, presidente da Banda, e o advogado Gabriel Tomasete, do movimento contra o abusivo aumento

Para o presidente do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor (Condecon), advogado Gabriel Tomasete, que compõe o Manifesto Oficial juntamente com entidades de defesa do consumidor, do setor produtivo e dos trabalhadores, o carnaval não é momento de esquecer dos problemas, mas uma oportunidade de continuar buscando melhorias. “A Banda se mostrou muito receptiva à ideia de somar forças com as entidades que estão contra o aumento da energia elétrica. O nosso protesto será ouvido durante este sábado de carnaval no maior bloco da região Norte. Juntos somos mais fortes”, disse.