PORTO VELHO – Depois da Operação Rondônia Cinquentenário, que trouxe em julho 310 universitários de diversas partes do País em comemoração aos 50 anos do projeto Rondon, nova edição irá ocorrer no primeiro semestre de 2018, no período de férias escolares, com previsão de atender comunidades de 16 municípios.

Esta edição do projeto Rondon ganhará o nome de Operação Teixeirão, em homenagem ao ex-governador Jorge Teixeira de Oliveira, em cujo governo foi criado o estado de Rondônia. A iniciativa é da Diretoria Técnica Legislativa (Ditel), vinculada à Casa Civil, com apoio da Vice-Governadoria.

O coordenador nacional do projeto Rondon, coronel Hidenobu Yatabe, esteve em Porto Velho nesta terça-feira (3), para fazer uma apresentação sobre o projeto a representantes de instituições de ensino superior e prefeitos convidados no auditório da Secretaria de Estado da Saúde.

O coronel Yatabe detalhou a forma de participação das universidades e prefeituras, disse que o projeto é mantido pelo Ministério da Defesa e manifestou impressão positiva sobre o fato do governo de Rondônia querer recuperar a periodicidade do projeto, tornando-o uma política de Estado. “Sem o apoio as Forças Armadas, com a parceria dos estados e municípios, não teríamos como fazer o projeto”, disse.

Conheça o Projeto Rondon

O vice-governador Daniel Pereira disse que a Operação Teixeirão reproduzirá, no âmbito do Estado, as atividades de extensão desenvolvidas por estudantes universitários em diversas áreas de conhecimento, e para que o município seja contemplado o critério é possuir baixo Indice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Yatabe: “Sem o apoio as Forças Armadas, com a parceria dos estados e municípios, não teríamos como fazer o projeto”
“O nome da operação é uma homenagem ao cidadão que, indiscutivelmente, não há como negar, contribuiu muito para que Rondônia alcançasse o processo de crescimento que experimentamos hoje”
Daniel Pereira, vice-governador

Segundo o assessor da Ditel, Ronilson Melo, a apresentação do projeto Rondônia para instituições de ensino superior e prefeitos será feita também esta semana, pelo coronel Yatabe  e diretor da Ditel, professor Helder Risler em Ji-Paraná (4), Cacoal (5) e Vilhena (6). Oficiais da Aeronáutica e do Exercito também participam desses encontros.

Pelo projeto, a Operação Teixeirão terá inicio em 18 de janeiro, estendendo-se até 4 de fevereiro. A criação de um fundo será efetivada para receber recursos que serão utilizados nas ações em que o Ministério da Defesa não faz investimentos, por exemplo o custeio com deslocamento de funcionários. Segundo Ronilson, deputados já manifestaram intenção de indicar emendas parlamentares para bancar o fundo.

Patrono Brasileiro das Comunicações

Marechal Rondon com indígenas

Único Estado brasileiro com nome de um homem, personagem da história amazônica. Somos Rondônia, cujo nome homenageia o célebre marechal Rondon, patrono brasileiro das comunicações. Deve-se ao projeto de lei complementar nº 2.521/1995, de autoria do ex-deputado Áureo Mello (PTB-AM), nascido no antigo Hospital da Candelária, em Porto Velho.

A informação está no livro Imagens de Rondônia, da escritora Yêdda Pinheiro Borzacov: “Vi e senti o sertão na sua forma bruta, com as inenarráveis dificuldades que cercavam o homem.  O princípio econômico predominante naquela época era o mais primitivo, ou seja, o sistema da troca; fome absoluta, e o heroísmo dos trabalhos em poaia se apagando no mais triste dos anonimatos e na maior desassistência” .

A23
1975 – Pioneiro João Guerin e filhos, em Ariquemes

Apenas uma luz de civilização via rasgar o horizonte de treva: os postes e as passagens da Comissão Rondon, chefiada pelo bravo caboclo (mato-grossense) Cândido Mariano da Silva Rondon” – escreveu Mello no Alto Madeira, em edição de 4/8/1965.  

Mello adotou a ideia do nome Rondônia, do notável etnólogo Roquette Pinto, do Museu Nacional do Rio de Janeiro.

Conheça o Projeto Rondon
Clique