Na ultima semana, no no Centro Cultural de Machadinho do D’Oeste, localizado na região do Vale do Jamari, moradores do Bairro Bom Futuro participaram de uma reunião para tirar dúvidas sobre o programa Papel Passado, uma parceria dos governos federal e estadual que irá contemplar 1.365 lotes de famílias de baixa renda com a regularização fundiária urbana, gratuita, no município.

Valeria Oliveira de 41 anos, que participou da reunião, possui um imóvel na Rua Bem-te-vi, no Bairro Bom Futuro, considera uma segurança ter o título definitivo. Além da possibilidade de fazer um financiamento tenho um imóvel como garantia.

Valeria Oliveira é uma das moradoras que será contemplada com o título definitivo do seu imóvel

O prefeito de Machadinho D’Oeste, Leomar Patricio, ressalta a importância do programa para a economia do município. “Com o documento em mãos, a população terá acesso às linhas de créditos para construção ou reforma do imóvel, o que vai gerar crescimento econômico para nossa Cidade”, avaliou.

Para o titular da Superintendência Estadual de Patrimônio e Regularização Fundiária (Sepat), Constantino Erwen Gomes, a preocupação é com a demanda acumulada. De acordo com o Erwen, a determinação do governador Marcos Rocha é que todos os esforços sejam feitos para a regularização em tempo hábil.

Além de Machadinho, os municípios de Nova Mamoré, Guajará-Mirim, Castanheira e Corumbiara também participam do Papel Passado, que totaliza 7.899 lotes. O Programa Papel Passado recebeu emenda parlamentar do deputado federal Nilton Capixaba no valor de R$ 2,4 milhões.