“Todos os dias, cinco dias por semana, milhares de jovens vão às escolas, alguns porque os pais querem ou obrigam, outros por uma vontade própria, um querer e uma determinação, que só cabem a eles uma resposta para tudo isso, e essa resposta sempre é individual.

Eles sempre contam com uma história por traz dessa determinação muitas vezes ela pode ser sofrida, complicada, etc. E muitas vezes esses jovens acabam se perdendo nesse caminho pelos golpes traiçoeiros da vida, a mercê de qualquer situação.

No meu caso isso foi diferente, eu conheci a escola do Novo Tempo, que me ensinou os 4 pilares da educação: Ser, Conviver, Fazer, Conhecer, e me mostrou um ensino de qualidade, me acolheu de braços abertos, me ajuda nas escolhas futuras, me ajuda a ter sucesso e a continuar nesse caminho, sem tropeçar e se caso isso aconteça, me ajudam a levantar, e é isso que a Escola do Novo Tempo faz, ela é mais que uma escola, mais que um bom aprendizado, é sua porta para o futuro”

Essa é uma carta enviada pela estudante Kelly Mendes da Silva, do 2ºC, da escola Escola Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Cândido Portinari, do município de Rolim de Moura, Rondônia, para a Secretaria de Estado da Educação de Rondônia(Seduc), em agradecimento ao trabalho realizado pelos educadores da rede estadual e pela oportunidade dada pelo governo através do programa Escola do Novo Tempo.

Foi com o depoimento dessa estudante que iniciou hoje (26), no auditório do Rondon Palace Hotel, a reunião de abertura dos trabalhos do ano letivo do programa Escola do Novo Tempo. Atualmente 3.500 estudantes estão matriculados em 11 escolas da rede estadual, distribuídas em onze municípios, atendidos pelo programa Escola do Novo Tempo; instituído desde 2017, coordenado pela Gerencia de Educação Básica da Seduc/RO.

ANO LETIVO

Segundo a professora coordenadora do programa, Adriana Teixeira Nobre, o ano letivo de 2019 será dedicado a sustentabilidade. A comunidade destas unidades escolares tem como expectativa se tornarem unidades tutoras de boas práticas, potencializando a metodologia utilizada na educação de tempo integral para o tema.

“A educação integral tem como foco o projeto de vida dos estudantes e norteiam o trabalho pedagógico por meio de três eixos formativos: Excelência acadêmica; Formação de competências para o século XXI; e Formação para a vida” – explicou Adriana.

O secretário de Estado da Educação Suamy Lacerda participou da abertura da reunião, que alinhará as ações do programa em todo o Estado, e disse que a educação em tempo integral é um desafio aos educadores e gestores, em especial os de locais de difícil acesso, que foram parabenizados pelo compromisso com o programa. “Sintam-se acolhidos pela secretaria e que sejamos um ponto firme de apoio para potencializar o programa”.

Suamy Lacerda afirmou que a educação integral é um desafio no Brasil, usando como parâmetro países como os EUA que já ofertam a educação integral há mais de cem anos, enquanto o Brasil não possui nem uma década “de ações coordenadas e massivas”.

DESAFIO RONDONIENSE

Outro exemplo citado como desafio pelo secretário é o fato de que em Rondônia algumas família não consideram a dedicação a educação integral importante e destinam o contra turno dos jovens para o trabalho, até por necessidade da renda familiar. “Isso é um desafio a manutenção dos estudantes no programa, mas não nos impede de lançar o desafio, será nosso compromisso, nossa competência e dedicação que fará o programa engrenar. As pessoas que estão aqui tem condições e compromisso para isso, precisamos fazer permanente a propagação do valor destacado na carta da estudante Kelly Mendes da Silva, e exposta em vídeo; mostrar como o método educacional é importante e tem efeitos na formação do educando” – exaltou Suamy, convidando os gestores e educadores para diuturnamente potencializarem os valores do programa e o compromisso com a educação em tempo integral no seio das comunidades beneficiadas.

“A escola tem o perfil que o gestor impõe a ela; se ele for um gestor presente menos problemas, se ele for ausente mais problemas. Se ele viver a escola, teremos ações fortes e consolidadas. Gestores não possuem problemas, possuem desafios” – disse Suamy lembrando que com a mudança de governo a educação entrará em raio de avaliação institucional, portanto o programa.