A Escola Estadual de Ensino Fundamental Hélio Neves Botelho e a Escola Estadual de Ensino Fundamental Sebastiana Lima de Oliveira, localizadas em Porto Velho, foram as duas primeiras a receber o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) em 2019. Na última segunda-feira (17), centenas de pais lotaram a quadra Poliesportiva da Escola Hélio Neves Botelho, para a formatura do Proerd/2019.

Estudantes são agraciadas com medalhas por terem redigido as melhores redações

O coordenador estadual do Proerd, tenente PM José Dias Neto, participou da solenidade que teve uma vasta programação elaborada para a tarde da última segunda-feira. Presentes as diretoras das escolas Hélio Neves Botelho, professora Rosana Socorro Araújo dos Santos; e da Sebastiana Lima de Oliveira, professora Kátia Carvalho, além dos instrutores cabos PM Evandro e Edmilson.

Autoridades prestigiaram a formatura do Proerd 2019 das escolas Hélio Botelho e Sebastiana Lima

A entrada triunfal dos formandos na quadra foi feita pelo cerimonialista sargento PM Cleyton Gomes de Melo. Com todos os formando ocupando os seus respectivos lugares no dispositivo, a solenidade teve início com a execução do Hino Nacional.

Na sequência, cinco estudantes – quatro do Hélio Botelho e uma da Sebastiana, foram agraciados com medalhas por terem suas redações sobre resistência às drogas e violência escolhidas as melhores, em suas respectivas salas.

A professora Kátia Carvalho, da Escola Sebastiana Lima, fez a entrega da medalha à aluna Bruna dos Santos, do 5º Ano, enquanto a professora Rosana, da Hélio Botelho, fez a entrega de medalhas para as estudantes Emmeline Souza Azevedo (5º Ano A), Bianco Kauny Carvalho da Silva (5º Ano B), Diego Lucas de Oliveira Tejas (5º Ano C) e Sophia Mohr (5º Ano D).

Os instrutores Evandro e Edmilson fizeram uso da palavra para agradecer aos pais, professores e aos gestores escolares pela oportunidade que tiveram de formar as crianças no Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) em 2019, visto que há 19 anos está implantado em Rondônia.

O coordenador estadual do Proerd, tenente PM José Dias Neto, fez uma explanação das ações desenvolvidas pelo programa e apresentou as necessidades materiais para que haja prosseguimento do programa nas escolas da rede estadual de educação de Rondônia em 2019.

O secretário de Estado da Educação de Rondônia, professor Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu, apoia, incentiva e disse que o Proerd já atendeu quase 300 mil alunos em Rondônia e pretende ampliar o atendimento, visto que há um consenso quanto à necessidade de evitar o acesso dos alunos às drogas e à violência em torno dos estabelecimentos de ensino.

“Temos que aprender a lidar com questão legais que envolve drogas, álcool e tabaco e o Proerd é um dos melhores programas educacionais que temos em Rondônia e, para tanto, as demandas de materiais foram autorizadas e os responsáveis pela aquisição devem agilizar o processo de aquisição, visto que há necessidade do emprego do material, notadamente os materiais de expediente, camisetas, kits Proerd, e outros materiais permanentes”, garantiu o secretário.

PREVISÃO

O tenente Dias afirmou que há uma previsão de 40 estabelecimentos da rede estadual de ensino de Rondônia serem contemplados com o Proerd em 2019 e, neste sentido, foram iniciadas as atividades nos municípios de Cacoal, Vilhena, Jaru, Presidente Médici, Ji-Paraná e Ariquemes, além de Porto Velho. Gradativamente, Guajará-Mirim, Buritis, Ouro Preto do Oeste e Alvorada do Oeste terão escolas contempladas com o Proerd.

Dias destaca o esforço da Polícia Militar do Estado de Rondônia e da Secretaria de Estado da Educação de Rondônia em trabalharem para reduzir o número de jovens envolvidos com drogas e a prática de violência nas comunidades e escolas. Frisou que o primeiro levantamento do Proerd sinaliza com o atendimento a 6 mil estudantes da rede estadual de ensino de Rondônia, no primeiro semestre do corrente ano.

CRIAÇÃO

O Proerd tem como base o Dare (Drug Abuse Resistance Education) e foi criado pela professora Rutty Hellen, em conjunto com o Departamento de Polícia da cidade de Los Angeles (EUA), em 1983 e atualmente está em 58 países.

No Brasil, o Proerd foi adotado em 1992, através da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e a partir de 2002 se expandiu pelo Brasil. O Proerd é desenvolvido nas escolas públicas e particulares, no 5º e 7º ano do Ensino Fundamental, na educação infantil (Proerd Kids) e para adultos.No ano passado, por exemplo, 60 escolas foram contempladas com ações voltadas ao público infantil e, ainda, 98 escolas com alunos do 5º ano, e 13 instituições com estudantes do 7º ano.