droneA Prefeitura de Araguaína, no norte do Tocantins, vai usar um drone para ajudar os agentes de endemias no combate ao Aedes aegypti. O mosquito é transmissor da dengue, zika e chikungunya. O equipamento será utilizado em locais de difícil acesso. Os moradores serão notificados caso algum foco seja encontrado no imóvel deles.

“Esse drone vai servir para a localização de focos, de difícil acesso como em cima dos telhados, caixa d’água descoberta, calhas entupidas, que possam acumular água”, explica o superintendente de Vigilância e Saúde de Araguaína, Eduardo de Freitas.

Na cidade, alguns lugares foram flagrados com concentração de lixo e água acumulada. Algumas casas já foram visitadas em parceria com o Exército Brasileiro. “É mais uma ferramenta que a gente tem para utilizar, nesses imóveis de difícil acesso”, diz o agente de endemias da prefeitura de Araguaína, Cícero Batista.

Segundos dados da Secretaria de Saúde, só este ano, de janeiro a setembro, 1.986 pessoas contraíram dengue. Isso já é quase o que foi registrado em todo o ano passado, quando 2.106 pessoas foram infectadas.

Em 2015, a cidade teve apenas dois caos de zika, já este ano até setembro o número subiu para 285 casos. No mesmo período, foram oito casos de chikungunya.

De acordo com a Secretaria, 72% dos focos são encontrados em casas, 17% estão nos terrenos baldios, 7% no comércio, 2% em borracharias, cemitérios, praças, escolas e igrejas.

Fonte: G1