PORTO VELHO – O prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB), disse na sede da Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero) que a situação política é atualmente “o mais sério problema vivido pelo País”. “Temos o defeito de terceirizar as responsabilidades políticas e depois reclamamos quando não dá certo. Não entendo como um País como o nosso não consegue dar certo”, afirmou durante reunião do Conselho de Representantes.

Pires reclamou da “baixa representatividade política da classe empresarial” e alertou a entidade: “A omissão dos empresários precisa ser debatida”.

O prefeito de Ji-Paraná participou da reunião mensal do Conselho que reúne representantes dos sindicatos integrantes da Fiero. Discorreu a respeito das potencialidades e perspectivas da região central de Rondônia e da situação política e econômica do País.

Elogiou o encontro, classificando-o de produtivo, porque proporcionam diálogo, ideias, propostas e sugestões para superar os gargalos e as crises.

Para o presidente da Fiero, Marcelo Thomé, a presença de Jesualdo Pires abrilhantou a reunião do Conselho: “Ele expôs de forma direta e objetiva seu ponto de vista”. Thomé destacou o convênio para o desenvolvimento do plano industrial rondoniense: “Trata-se de um projeto que identificará potencialidades econômicas do estado e tudo o mais necessário para que o setor produtivo alcance o ápice do desenvolvimento econômico no período de 15 anos.

Logística, energia, capacitação do capital humano, segurança hídrica fazem parte dessa pauta. O projeto exigirá a atuação de todos, apelou o presidente. “Quanto melhor for desenvolvido, melhor será o resultado do ponto de vista do desenvolvimento econômico”.

Para o presidente do Conselho, Chagas Neto, a atuação de Jesualdo Pires em prol do desenvolvimento regional merece o reconhecimento da entidade. Entre os convidados, lá estavam também: o assessor de Assuntos Políticos da Fiero, José de Abreu Bianco, e o superintendente do Sesi e diretor regional do Senai-RO, Valério Duarte.

O prefeito recomendou prudência na gestão dos recursos públicos, com planejamento e coragem para tomar decisões que mantenham as contas públicas equilibradas. A propósito, lembrou que o legado de contas equilibradas deixado pelo ex-prefeito José de Abreu Bianco, são algumas das razões do sucesso de sua administração à frente da Prefeitura de Ji-Paraná.