Rondônia avança para a meta de zerar a fila de cirurgias de catarata. No sábado (25) foi lançada, em Cacoal, a segunda etapa do mutirão de cirurgias de catarata para atender todos os pacientes que esperam por esse procedimento na região do Café (Cacoal, Pimenta Bueno, Espigão do Oeste, São Felipe do Oeste, Primavera de Rondônia e Ministro Andreazza) e também nos municípios do Vale do Guaporé (Costa Marques, Seringueiras e São Francisco). Serão operados mil pacientes do Sistema de Regulação Estadual (Sisreg), com disponibilidade para ampliar os atendimentos se houver procura pela população.

Governador Marcos Rocha destaca que a missão é zerar as filas de espera por cirurgias de catarata em todo o Estado

O lançamento foi feito pelo governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, juntamente com o secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo. ”Muitas pessoas perderam a visão devido à catarata, então nos trabalhamos para resolver isso com a criação do projeto Fila Zero. O objetivo é fazer com que todas as pessoas de Rondônia, que perderam a visão devido ao problema, possam voltar a enxergar e voltem a ser produtivas”, explica Marcos Rocha.

O secretário de Saúde destacou que o projeto teve início no segundo semestre do ano passado na região de Porto Velho. A previsão é que até julho deste ano zere a fila de espera por cirurgias de catarata em todo o Estado. “Nós estamos aqui para trazer notícias boas. Quando assumimos, a secretaria tinha pacientes esperando há seis anos pela cirurgia de catarata e foi uma determinação do governador zerar essa fila de espera. Começamos a operar em Porto Velho, fizemos 2,5 mil cirurgias em 2019, e fomos buscar parcerias para trabalhar isso também no interior. A partir da primeira semana de fevereiro vamos operar cerca de mil pacientes, com isso a gente zera a fila nesses nove municípios”.

Na região, o projeto ganhou apoio da deputada federal Jaqueline Cassol que destinou mais de R$ 3,6 milhões de recurso extraorçamentária para as cirurgias. ”Eu percebi que nossa população estava perdendo aquilo que é tão importante, a visão. Então destinei esse recurso e pedi ao governador e ao secretário que ele fosse aplicado aqui na região de Cacoal”, conta a deputada.

Os avanços na saúde pública de Rondônia foram pontuados pelo governador Marcos Rocha e o secretário da Saúde, Fernando Máximo

Para o governador, a iniciativa é uma forma de dar dignidade às pessoas e avançar na humanização da saúde pública. ”Não tem preço quando a gente vê uma senhora que nunca tinha enxergado os netos, por ter perdido a visão devido à catarata, passar pela cirurgia e ver com alegria os netos pela primeira vez. Assim, também, como um surdo e mudo que ficou cego pela catarata. Imagina uma pessoa que não fala, não escuta e ainda não tem visão. Mas com esse projeto, ele já enxerga. É isso que estamos fazendo, dando à população o que ela precisa, com um serviço de qualidade”.

O secretário reforçou que quem precisa fazer a cirurgia e não está no Sistema de Regulação Estadual (Sisreg) pode procurar a unidade básica de saúde mais próxima, ou até mesmo o setor de regulação da secretaria municipal de onde reside para que possa ser inserido no mutirão.

O governador também destacou que Rondônia adquiriu o primeiro tomógrafo ocular, que está na Policlínica Oswaldo Cruz. Desta forma, segundo o secretário de Saúde, o que antes os pacientes gastavam cerca de R$ 700 para realizar o exame em clinicas particulares, agora a população consegue esse atendimento de forma gratuita na rede pública do Estado

ORTOPÉDICAS

Também foi lançado oficialmente o mutirão de cirurgias ortopédicas gerais com o objetivo de zerar a fila de espera por esse procedimento no Hospital Regional de Cacoal, com a realização de mais de 100 cirurgias. Os pacientes são provenientes de 34 municípios das regiões do Café, Central, Sul, Zona da Mata, e Vale do Guaporé. Essas cidades fazem parte da II Macrorregião de Saúde de Rondônia, que abriga mais de 800 mil habitantes.

O governador destacou que os traumas ortopédicos fazem parte dos fatores que tornam as pessoas improdutivas. Com esse pacote de cirurgias ortopédicas será devolvido aos pacientes a saúde e capacidade de produzir. ”Nós estamos com isso zerando a fila de espera por cirurgias gerais na II Macrorregião de Saúde de Rondôni. Tudo isso com a determinação do governador Marcos Rocha e o apoio da deputada Jaqueline Cassol que destinou recurso para isso”, reforça o secretário de Saúde. A deputada federal aplicou R$ 3 milhões para compra de próteses e órteses, e o Estado é responsável pelo custeio das cirurgias.

Fernando Máximo também explicou que uma comitiva composta por servidores da Sesau estão desde quarta-feira (22) no Hospital Regional de Cacoal, que atende os pacientes da região do Café, para fazer o levantamento das necessidades e apresentar soluções para um serviço ainda mais eficiente na unidade.

Essas ações somam-se a outras que o Estado está realizando para dar mais agilidade e qualidade aos serviços de saúde prestados à população. De acordo com o secretário de Saúde, Rondônia vem gradativamente trabalhando, também, para zerar a fila de espera por ressonância. ”Pessoas esperavam por ressonância há dois anos e conseguimos, com mutirões, atender a demanda na I Macrorregião de Saúde de Rondônia. Em novembro começamos outro trabalho para zerar a fila da II Macrorregião. No fim de maio vamos zerar a fila de ressonância no estado de Rondônia”, garante.

 

 

 

 

 

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ésio Mendes e Ítalo
Secom – Governo de Rondônia