Sâmia (d) começa a movimentar o cartão da moeda digital no Orgulho do Madeira /Fotos Daiane Mendonça-Secom

PORTO VELHO – Francisco Santos, 66 anos, amazonense, quatro filhos e seis netos, investiu R$ 15 mil de suas economias na instalação provisória de uma pequena mercearia na quadra 586 do Residencial Orgulho do Madeira (zona Leste de Porto Velho) e agora precisa de dinheiro para aumentar a venda de água, bebidas e refrigerantes.

Graças aos microcréditos e à circulação da Moeda Social Digital, mais de 50 pequenos comerciantes de borracharia, confecções, cachorro-quente, donas e donos de pequenas lanchonetes, manicure, pedicure, padeiros, entre outros, começam a melhorar as condições de seus estabelecimentos.

A agência do Banco do Povo que atende o Residencial Orgulho do Madeira e Entorno fica na Rua Plácido de Castro nº 8527. Telefone: 3226-9446.

“Já liberamos mais de R$ 100 mil desde o dia 5 de janeiro, computamos mais de 500 cartões da moeda digital e a fila é de pelo menos mil ”, informou o diretor do Fundo de Apoio ao Empreendimento Popular do Banco do Povo, Arnaldo Campos.

O dinheiro sai do crédito especial de R$ 2 milhões, com os quais o banco movimenta desde o ano passado o Projeto Moeda Digital. Até outubro de 2016, o projeto totalizava mais de 400 pequenos estabelecimentos comerciais em sete municípios, beneficiando cerca de três mil famílias.

Francisco paga R$ 800 “chorados” do aluguel de um terreno que lhe sairia por R$ 1.200 mensais, e aguarda a liberação de R$ 5 mil pelo Banco do Povo de Rondônia para melhorar a mercearia.

De aluguel ele disse que entende porque já morou em diversos bairros da capital e por último no Ulysses Guimarães.

SAINDO DA “PENDURA”

Aproximadamente 70% da população da zona Leste de Porto Velho interessada na moeda social digital tem restrições no Serviço de Proteção ao Crédito, mas desde o final do ano passado corre para “limpar” o nome, conforme informou a auxiliar administrativa da agência do banco, Indimara Cristina. “Esse é um sinal altamente positivo do êxito na distribuição do dinheiro”, ela comentou.

Na região Norte, a Moeda social com o uso de cartão magnético só existe em Rondônia e tem papel importante no desenvolvimento econômico, pois age como um represamento de recursos na economia local.

Para créditos individuais, o tomador com restrição deve apresentar avalista, e se estiver isento pode apresentar um avalista que tenha algum tipo de restrição.

Quem ainda não conseguiu dinheiro para montar pequenos negócios aguarda com expectativa. Com a chegada de mais 1.120 famílias neste primeiro semestre, o residencial terá 16 mil moradores.

“Aqui e nos bairros vizinhos o comércio porta a porta é feito a pé, caso das revendedoras de perfumes e cosméticos em geral. Desde o ano passado, domésticas e outras profissionais que trabalham fora esperam complementar a renda familiar para pagar com folga a prestação da casa e a conta de energia elétrica”, disse Ângela Maria Cardoso, 40 anos, síndica da quadra 585.

Antonio Joaquim aguarda crédito

ANSIEDADE

Segundo Deize Poliana Damasceno Pimenta, 33, síndica da quadra 586, os pequenos empreendedores esperam com ansiedade pelo crédito. Mas isso é natural, conforme explicou o diretor da Faepar, Arnaldo Campos.

“Depois da conscientização geral para tirar dúvidas, em dezembro do ano passado, começamos a efetivar o atendimento em janeiro deste ano, e a tendência é mesmo crescer o número de interessados”, salientou.

O mestre de obras Antônio Joaquim de Oliveira, 73, aposentado, queixou-se de ter sido assaltado logo depois de construir um muro para a casa dele, na rua 11. Ele aguarda a liberação de R$ 10 mil do banco.

Oliveira pretende adquirir roupas e toalhas em Fortaleza (CE) e Goiânia (GO) para vendê-las na garagem de sua casa, em frente à qual colocará um toldo.

“Quero pagar imposto certinho. Estou documentado, já apresentei o aval de um filho”, disse.

A duração das condições de flexibilidade nos contratos é de no máximo um ano. Depois desse período, a direção do banco avalia a viabilidade  dos empreendimentos.

Os encargos financeiros mensais são estipulados em módicos 2% por mês para capital de giro, com bônus de adimplência de 50%. A concessão de crédito especial é para os moradores do Residencial Orgulho do Madeira e entorno.

“Cada um usa da melhor forma o possível o capital de giro, o investimento fixo ou misto”, disse o agente de crédito, Rubem Luiz de Azevedo Silva.

DINHEIRO CIRCULA AQUI

“Aqui saem microcréditos para aposentados, para famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, pensionistas e pessoas de baixa renda em geral, e a circulação do dinheiro dentro do residencial e dos bairros da zona Leste fortalece o comércio, dá emprego e renda”, explicou o agente Rubem Silva.

Rubem Silva, agente do Banco do Povo na Zona Leste

Sâmia Taís Sampaio, 23, funcionária de um supermercado, o primeiro do bairro, apontou a máquina de cartão instalada no balcão e se disse ansiosa para receber o dela.

A diversificação no abastecimento está chegando. No barracão em frente ao estabelecimento onde ela trabalha funcionará brevemente um mercado de hortifrutis semelhante ao do Km 1, no centro de Porto Velho. Três hortas nos arredores do residencial irão abastecê-lo.

Em visita à casa da mãe, Maria da Paz Fernandes Silva, 60, o filho caçula de quatro irmãos, Antônio Radrson Fernandes Silva, 35, irá à agência do banco, na rua Plácido de Castro, 8527, bairro Socialista, para pleitear a concessão de crédito especial.

“Eu mesma vendo artigos de cama, mesa, banho e alumínio, aqui e em Ariquemes. Quero ver se minha mãe terá oportunidade de montar algum negócio aí no galpão novo”, disse, referindo-se ao futuro mercado de hortifrutis.

Patrícia Chagas atende clientes

COMO FAZER

A moeda social digital dá opção de carregamento do cartão (pré-pago) e até 45 dias para pagar as compras que a pessoa fizer em qualquer estabelecimento comercial do residencial do Banco do Povo de Rondônia.

► A concessão de crédito especial aos moradores do Residencial Orgulho do Madeira e entorno estima receita operacional bruta anual de até R$ 60 mil para pessoas físicas, jurídicas, associações e cooperativas, para as quais oferece limites de R$ 300 a R$ 10 mil.

Para adquirir o cartão, não precisa abrir conta, basta fazer o cadastro em uma agência do Banco do Povo de Rondônia, apresentando Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), contracheque e comprovante de residência.

► Na constituição de grupos de aval solidário são admitidos até dois dos integrantes com restrições no SPC.

► As causas dessas restrições se limitam a dívidas em concessionárias de serviços públicos ou contraídas para consumo doméstico (fogão, geladeira, televisão, compras em supermercados).

►  Superintendência de Desenvolvimento do Estado de Rondônia (Suder), Faepar – Microcrédito Produtivo Orientado e  Fundo de Investimento e Desenvolvimento Industrial do Estado (Fider) são parceiros do banco.