sociedade organizada deve aproveitar a vontade política do Governo Bolsonaro de repavimentar a rodovia e tirar o amazonas do isolamento terrestre, afirma ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas

PORTO VELHO – Rodovia que já foi totalmente asfaltada nos anos 70 e por interesses diversos teve parte de seu pavimento destruída à propósito, a luta pela BR-319 nunca teve um aliado tão forte nos últimos 40 anos como agora no governo Bolsonaro. Mas o Go verno enfrenta a força de interesses inconfessáveis que, a pretexto de preservar o meio ambiente, impedem que a rodovia seja reasfaltada e permite a ligação terrestre de pelo menos 3,5 milhões de amazonenses e outros tantos moradores de Roraima a uma saída terrestre para o Sul do Brasil.

Ministro Tarcísio Freitas (e) em audiência com a deputada federal Jaqueline Cassol: “nenhum país ousou isolar uma população de 2,5 milhões de habitante como se faz no Brasil”

A rodovia é fator de integração nacional.

Agora, lutando contra estas forças que nas últimas quatro décadas condenaram o Amazonas ao isolamento, o ministro da Infraestrutura, Tarciso Gomes de Freitas, faz apelo às organizações civis dos estados do Amazonas, Rondônia e Roraima, conclamando-as a se manifestarem pela recuperação e asfaltamento da BR-319 (Manaus-Porto Velho). Em vídeo postado no Twitter, nesta sexta-feira, 18, o ministro é enfático ao dizer “que é hora de as forças vivas mostrarem o seu protagonismo e dizerem: ’olha chega! Não aceito não ter essa rodovia. Já fiquei sem essa rodovia por muitos anos. Basta!’ A indústria, o comércio e o agro precisam se posicionar”.

Veja o vídeo com a fala do ministro:

Ele diz que a rodovia é prioridade número um do Governo Bolsonaro. Mas vem, há décadas, sofrendo resistências.

– Nenhum país desenvolvido se permite isolar uma cidade de dois  milhões e meio de habitantes.

A conclamação do ministro se dá em função da luta que vem enfrentando para obter as licenças dos órgãos ambientais que obstacularizam a plena recuperação da rodovia. E, em função de conceitos e posicionamentos políticos, judicializam a questão.

Assim, é preciso vencer os obstáculos judiciais para que a parte central, o meio da rodovia, seja liberada para a conclusão das obras.

DCIM101MEDIA

O momento, agora, é de união e manifestação das forças políticas e da sociedade organizada.

O governo do estado, a bancada federal de Rondônia no Congresso Nacional, a Assembleia Legislativa, Fiero, Facer, Federação da Agricultura e as entidades do agronegócio, prefeituras e câmaras de vereadores precisam assumir essa bandeira enquanto existe a vontade e o desejo político de resgatar uma rodovia que já foi alvo do orgulho de rondonienses e manauaras.

Talvez o resto do Brasil não saiba, mas repavimentar a BR-319 (Manaus-Porto Velho) é hoje prioridade número 1 para rondonienses e amazonenses. Nenhum país desenvolvido se permite isolar uma cidade de dois milhões e meio de habitantes do resto do seu território. O que precisamos: engajamento pic.twitter.com/J1YsprvCdU

— Tarcísio Gomes de Freitas (@tarcisiogdf) September 17, 2020

Agora, veja também, o estágio das obras que estão sendo realizadas. O vídeo é do dia 27 de julho passado.

Com informações do notíciastudoaqui.com.br