Em preparação para esta retomada, a equipe da Funcultural já realizou a limpeza e higienização do espaço público

PORTO VELHO – Após uma temporada fechado devido a pandemia, um dos pontos histórico, cultural e turístico da capital rondoniense, o Mercado Cultural, retorna amanhã, dia 1-8, com as suas atividades gastronômicas. E será uma reabertura em grande estilo, com uma das combinações brasileiras para curtir aos sábados, a Feijoada com Samba. Na sequência, no domingo, dia 2, tem o Café Nordestino, a priori, ambos com som mecânico, sob o comando do músico Beto Cézar e apoio cultural da cerveja Devassa.

Em preparação para esta retomada, a equipe da Funcultural já realizou a limpeza e higienização do espaço público. A retomada das atividades neste momento, segundo Ocampo, é porque o ambiente está focado na gastronomia, ou seja, incluído no rol de atividades essenciais. “Não há nada que impeça a reabertura por este motivo. Shows ao vivo e grandes eventos não vão ocorrer, neste momento”, disse.

De acordo com Sinézio Tapajós, permissionário da choperia o Canto do Boto, a sua equipe já está adequada com as exigências sanitárias. “Uma das novidades do local será a comercialização de açaí, tapiocas recheadas e sucos especiais e detox nós fins de tarde”, acrescentou Sinezio.

Já o permissionário Henry Vasquez, do Dourado do Madeira, disse que sua cozinha vai funcionar de segunda a segunda, com venda de café da manhã, almoço e janta. “Detalhe: tudo com preços acessíveis.”, enfatizou.

O Mercado Cultural foi reaberto no dia 24 de janeiro, na festa dos 105 anos de instalação da capital de Rondônia, com shows da cantora Iná, o percussionista Carlos Piau e o cantor Caribé, entre outras atrações. Em março suspendeu suas atividades para fins de prevenção e de enfrentamento da pandemia causada pelo novo coranavírus – COVID-19.

Certificado de vistoria

Na manhã da última quinta-feira (30), o Mercado Cultural de Porto Velho recebeu do Corpo de Bombeiros do Estado de Rondônia (CBM-RO) a certificação de vistoria que valida o sistema de prevenção e combate a incêndio e pânico do prédio histórico.

As adequações se referem à sinalização, rede elétrica, segurança de escadas (corrimões), acessibilidade, sistema de gás (cozinha) e do reforço do telhado, tudo previsto na Lei 3924/2016.

O trabalho desenvolvido pela Funcultural logrou a certificação com o apoio de uma equipe técnica empenhada no processo de adequações de toda a arquitetura do Mercado Cultural, o que é exigido na lei. Ocampo reconheceu a dedicação dos autores do projeto, Tainara Melo Sobral (arquiteta) e Tiago Dambrós Costa Beber (engenheiro civil), e também o apoio dos permissionários do restaurante e choperia que funciona no Mercado.

Fonte: Assessoria