Sem dúvidas o local melhorou em relação ao que era, inclusive a decoração feita para o carnaval agradou até quem não gosta disso

PORTO VELHO – A opção de tomar café da manhã, ou curtir uma feijoada aos sábados, no Mercado Cultural, já está pegando bem junto aos que gostam de comer fora de casa, ainda mais ouvindo música, como acontece aos sábados com a roda de samba ou no domingo, com o “Amantes do Forró”, grupo do “forró pé-de-serra”, , e ainda comprar numa pequena feira de artesanato.

Sem dúvidas o local melhorou em relação ao que era, inclusive a decoração feita para o carnaval agradou até quem não gosta disso. “Carnaval e futebol não são meus preferidos, mas sem dúvida é bom chegar aqui e encontrar um ambiente ornamentado, mais alegre, ganhando vida”, disse um jornalista.

No Mercado Cultural, que até pouco tempo estava abandonado e foi reinaugurado há menos de um mês, as opções de café da manhã ou almoço têm atraído muita gente, mas quem deixa o carro estacionado reclama da falta de uma segurança melhor, e há cobranças para que a prefeitura coloque seus agentes de trânsito circulando pela área para evitar possíveis arrombamentos ou roubos de veículos.

Como muitas pessoas levam crianças, pais estão pedindo que a prefeitura determine à secretarias de Educação e a de Esportes que criem espaços onde a garotada possa ficar fazendo atividades, sob supervisão dos técnicos municipais, enquanto os “velhos” degustam suas cervejas ou o almoço, como disse Mário Oliveira, dois filhos pequenos. “Creio que o município tenha condições de atender nosso pedido, até porque assim poderão vir mais famílias”.

Conforme usuários, “os banheiros estão funcionando melhor que antes”, mas ainda há quem se queixe, da falta de melhor, e constante, limpeza, sendo, no entanto, registrado muitas queixas com relação às pessoas que utilizam aqueles espaços, “porque tem gente que parece não ter nem noção de higiene”, disse um dos ouvidos pelo site expressaorondonia.com.br.

A cobrança de 3 reais por um cafezinho, e a possibilidade de ter de pagar isso e mais 3 reais de couvert, também provocou queixas, assim como a distribuição da feijoada aos sábados, servida por um funcionário do permissionário, sem dar opção que o consumidor não coloque no prato itens como pés ou rabos de porco. Há quem não goste desses itens, mas um funcionário do local explicou que é dessa maneira porque o preço é muito menor que em outros locais que servem a iguaria – onde cada item vem numa travessa diferente o que permite escolher o que colocar no prato.

Conforme o funcionário, o valor da feijoada é muito menor que em qualquer outro local, com a opção – que no caso específico também acontece – de repetir, afora que seja no peso.