JI-PARANÁ – Pelos quase seiscentos estandes estão expostos produtos  que interessam ao agropecuarista, por exemplo, além de técnicas que potencializam a produção ou que acrescentam qualidade. A capital do agronegócio, como o município de Ji-Paraná é conhecido pelos seus moradores, recebe, durante a 6ª Feira Rondônia Rural Show representantes de diversos países, da indústria de equipamentos agrícolas, de sementes, defensivos agrícolas, de eletrificação rural, enfim, de tudo o que se relaciona com o homem do campo.

O organizador da maior feira do agronegócio da região Norte, José Paulo Gonçalves, estima movimento de R$ 500 milhões em negócios. Trabalhadores autônomos também são contemplados com o evento. “É uma festa de negócios, inspiradora e de aprendizado”, disse o governador Confúcio Moura cercado de parlamentares, jornalistas e populares.

O governador convidou a população a conhecer a feira, mas aconselhou: “Tragam água e se preparem para andar muito. Quem vier aqui vai sair diferente.”.

Promovida pelo Governo de Rondônia, a RR Show funciona este ano em espaço novo e próprio, numa área de 50 hectares no Km 333 da rodovia BR-364, no sentido Presidente Médici. Ali está a maior vitrine tecnológica do norte brasileiro.

Veja vídeo de apresentação

Segundo o coordenador, no levantamento mais recente estimava-se que a feira proporcionasse cerca de 600 empregos diretos e indiretos com aproveitamento de mão de obra de pessoas. Jorge Braga, 60 anos, por exemplo. Com boné, bota e camisa de manga longa, o pedreiro enfrenta o forte calor para deixar a feira mais arborizada.

”Já estava há cinco meses sem trabalhar. Pedi a Deus uma oportunidade, e apareceu esta aqui. Já estou há três semanas trabalhando”, disse. Ele também pretende trabalhar durante todos os dias de feira catando latinhas.

Outro que também tem encontrado oportunidades de garantir uma renda extra no evento é o pensionista Ailton da Rocha.

“Sempre trabalhei com serviço pesado, e nesta feira encontrei oportunidade de conseguir uma renda extra”. Ailton Rocha, 62 anos.

Ele trabalhava abrindo caminho para encanação de uma das tendas. O evento seguirá até o sábado (27), com portões abertos a partir das 7h30. O acesso é gratuito. Conheça a programação, clique aqui

 VOLUME DE NEGÓCIOS

Edição 2012: R$ 186 milhões
Edição 2013: R$ 294 milhões
Edição 2014: R$ 530 milhões
Edição 2015: R$ 621,6 milhões
Edição 2016: R$ 485,2 milhões

Formada em sua essência por produtores rurais, a feira também atrai muitos estudantes, empresários, políticos e sociedades organizadas, todos em busca das novas tecnologias e oportunidades oferecidas durante os quatro dias do evento. Na última edição o público visitante somou 69 mil pessoas.

Para o secretário da Seagri, Evandro Padovani, a feira é um exemplo de que o setor produtivo do Estado está em expansão. “As cinco edições somaram mais de R$ 2 bilhões em negócios, aplicados diretamente no setor agropecuário do Estado”.

Segundo Padovani, para edição 2017, o objetivo principal é aproximar o produtor das novas tecnologias. “Mostrar que é possível melhorar a renda com a adoção de novas tecnologias”.

Clique e amplie