Houve sim contatos, conversas e troca de gentilezas. Nos últimos dias, contudo, segundo um importante líder do MDB rondoniense, “a conversa esfriou”

Sérgio Pires

OPINIÃO DE PRIMEIRA – Passado o motivo do segredo, a coluna pode contar. Até meados da semana passada, quando ainda não havia certeza se Waltenberg iria mesmo ingressar no partido e, eventualmente, colocar seu nome para a disputa pela Prefeitura, havia uma ala importante do MDB conversando com o candidatíssimo Vinicius Miguel, hoje no partido Cidadania e dono de mais de 100 mil votos na Capital, na disputa pelo Governo, em 2018. Vinicius estava na alça de mira do partido como uma opção bastante viável para concorrer à Prefeitura.

A conversa não havia evoluído ainda para um acordo sobre se ele continuaria no Cidadania e teria o apoio do MDB ou se mudaria de partido. Mas que houve contatos, conversas, troca de gentilezas, houve sim. Nos últimos dias, contudo, segundo um importante líder do MDB rondoniense, “a conversa esfriou”. Vinicius Miguel jamais se pronunciou sobre o assunto e a informação chegou à coluna através de fontes ligadas aos emedebistas. Com a possibilidade concreta de ter Walter Waltenberg Júnior como candidato, o MDB já não pensa em outra opção. Ao menos neste momento. 

MDB ESPERA POR SEU CANDIDATO DOS SONHOS

Apenas 94 dias separam o MDB de ter uma chance real de lançar um candidato com enormes chances de se tornar Prefeito de Porto Velho, depois de longos anos, já que a última vez que a sigla elegeu alguém na Capital, foi quando colocou, na cadeira de alcaide, o primeiro Prefeito escolhido por voto direto, Jerônimo Santana, em meados dos anos 1980. No dia 3 de abril deste ano, na enésima hora, o desembargador Walter Waltenberg Júnior vai dizer ao partido se aceita ou não concorrer ao cargo, em outubro. O MDB tem nesta autoridade – que também é um importante empresário do agronegócio – sua principal carta na manga. Duas coisas separavam Walterberg de uma possível candidatura. Primeiro: ele continua atuando na Magistratura e só poderá entrar na vida política caso decida se aposentar. Pode fazê-lo, para fins da legislação eleitoral, até 4 de junho. Ou seja, quatro meses antes da eleição. Segundo: tem que se filiar ao MDB. Uma coisa depende da outra. Se não se aposentar, não pode nem ingressar no partido e, obviamente, não poderá concorrer. Em relação ao primeiro problema, a decisão está praticamente tomada. Ele vai sim pedir sua aposentadoria dentro do prazo e vai assinar ficha de adesão ao partido. Se será candidato, aí já é outra história. Dependerá de muitos fatores, inclusive de sua família, que é contra essa ideia. Walter Walterberg participou, como convidado de honra, de um café da manhã com alguns membros da cúpula emedebista, de nomes importantes da sigla, do diretório regional e municipal. Lá estavam a suplente de senadora, a dra. Maria Elisa; o deputado estadual Jean Oliveira; os três vereadores do partido – Joelna Holder, Márcio Oliveira e Isaque Machado; o secretário-geral da estadual, José Luiz Lenzi; o presidente do diretório municipal, Dirceu Fernandes; o ex-secretário estadual da saúde e ex-candidato a Prefeito, Wiliames Pimentel e outros nomes importantes do partido.

Discurso vai, discurso vem, mas a verdade é que a grande expectativa era pela palavra do último a falar. Exatamente o convidado especial, aquele em quem o MDB deposita todas as suas esperanças para a disputa municipal deste ano, em Porto Velho. Walter Waltenberg Júnior escolheu as palavras. Elogiou o partido, seus líderes, sua filosofia e, é claro, foi aplaudido quando disse que, se ele, Walter, pudesse ser uma figura da história recente do país, gostaria de ter sido Ulysses Guimarães. Show! Falou o que o público queria ouvir. Que se entrasse para a política, só o faria no MDB. Que nunca pensou em ser candidato, mas que defendeu sempre que quem quer mudar as coisas, deve participar dos partidos, que está pensando e que responderá até 3 de abril. Vai responder, avisou, se vai mesmo se aposentar e se então assinará ficha com o MDB. Não falou como pré-candidato a nada. Mas, entre os emedebistas presentes ao encontro – cerca de 30 – não há dúvida. Se não houver nada de novo até lá, ele vai entrar na disputa. O MDB está rezando para todos os santos, para que isso ocorra!

“TREM BALA SEM COMBUSTÍVEL!”

No encontro do MDB, nesta segunda de manhã, alguns momentos que marcaram, pelo inusitado. Primeiro: o ex-vereador e ex-deputado Zequinha Araújo comparou o partido “a um trem bala, parado na estação por falta de combustível”. Na verdade, o trem bala não usa combustível, mas sim energia elétrica, que tem que ser abundante em todo o trecho, para abastecê-lo e fazê-lo funcionar. Num segundo momento, num dos discursos dos participantes, alguém lembrou que o partido precisa de um nome forte e foi mais longe: “temos que ficar atentos, porque o atual Prefeito está se recuperando nos bairros”! No geral, Hildon Chaves tem sido alvo de críticas dos seus adversários, que, nessa reunião, houve uma pequena mudança do foco, destacando que a performance de sua administração vem melhorando. Outro momento foi quando Pedro Beber, presidente da Fundação Ulysses Guimarães, disse que o MDB é um partido sem dono. Foi retrucado pela suplente de senadora Maria Elisa: “tem dono sim!”. Outro destaque foi o discurso do ex-secretário Williames Pimentel, que disse que a disputa pelas Prefeituras (e principalmente a de Porto Velho), será um confronto também com o Governo do Estado, a quem criticou por ser uma estrutura militarizada e adversária do que o MDB defende.

ENROCAMENTO SOB RISCO

O enrocamento da área da Praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré está pronto. Mas corre riscos. As dragas que estão atuando na área proibida, desde a usina de Santo Antônio até a área próximo à ponte do Madeira, no bairro da Balsa, podem afetar toda a estrutura recém-concluída pela Santo Antônio Energia, numa parceria com a Prefeitura de Porto Velho e vários outros órgãos. Nessa semana, o Ministério Público será acionado oficialmente. Uma reunião está sendo agendada, para que o assunto seja definido. Todos os órgãos envolvidos no assunto serão mobilizados, para começar uma batalha para que as dragas e balsas parem de procurar ouro na área central da Capital, onde já há constante desbarrancamento. Sem controle, o garimpo ilegal se amplia no rio Madeira, deixando para a população apenas problemas ambientais. Dinheiro que é bom, só para os contrabandistas!

ENERGISA: TJ QUER OUVIR GOVERNO E ALE

O desembargador Renato Mimessi, do TJ de rondoniense, deu um prazo de dez dias – a partir da última quinta-feira, dia 16 – para que a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado posicionem-se sobre questões de inconstitucionalidade que haveria em leis estaduais que envolvem ações da Energisa. A empresa, representada por um grupo de advogados, alega que é inconstitucional, entre outras, a lei que determina um aviso prévio de três dias antes da troca de um medidor, inclusive em casos de flagrante existência de crime, como os famosos “gatos” e outros tipos de furto de energia. A alegação é que toda a legislação que envolve controle das distribuidoras de energia é federal e que os Estados não têm poder de influir nesses casos. Além disso, alega a Energisa, uma decisão dessas somente em Rondônia fere a isonomia, já que não tem validade em outros Estados da Federação. Nos próximos dias, os procuradores do Governo e Assembleia vão trabalhar duro, para responder às questões de Mimessi. Ele não concedeu liminar à Energisa, alegando que vai esperar pelas respostas que pediu e que o caso precisa ser analisado pelo pleno do TJ. Aguardemos, pois!

GASOLINA, GÁS, BELMONT FECHADA…

O preço da gasolina está estabilizado, mas com enormes diferenças no preço do litro. Há postos que vendem o litro a 4,088 centavos e há outros que exageram, cobrando mais de 4,55 pela mesma gasolina. Há também, eventualmente, queixas de alguns consumidores sobre a má qualidade do combustível que compram. É importante que em caso de qualquer suspeita, o assunto seja imediatamente encaminhado aos órgãos de fiscalização e de defesa do consumidor. Obviamente que isso não inclui os achismos, mas sim situações em que há prejuízos concretos, avalizados por mecânicos especialistas. Mas, no geral, não tem ocorrido casos, a não ser raros e eventuais. Já em relação à botija de gás, os preços estão cada vez mais proibitivos. Estamos pagando aqui até muito perto de 80 reais a botija, pelo menos três reais a mais do que custava o mesmo produto com o mesmo peso na última semana de dezembro. Há ainda outras más notícias: moradores e empresários da Belmont andam conversando para bloquear, pela vigésima vez, o acesso da estrada (dá para chamar assim?) às distribuidoras dos derivados de petróleo, na Capital. O pobre consumidor é quem vai sofrer. Pela vigésima vez…

FUGAS, PRESÍDIOS, CORRUPÇÃO…

Setenta e cinco foragidos de um presídio no Paraguai, fronteira com o Brasil. Todos bandidos de alta periculosidade, envolvidos em facções e comandando o tráfico de drogas. O governo vizinho mandou prender 33 agentes penitenciários, incluindo o diretor do presídio, por suspeita de terem facilitado a fuga em massa. No lado de cá, no Acre, 26 fugiram de um presídio da capital, deixando também os rondonienses, apavorados, com a possibilidade de que a bandidagem corra para cá, para se somar a tantos outros bandidos que já temos que suportar por aqui. A segurança pública não terá jamais qualquer resultado positivo, com tanta corrupção que ainda existe e com tantas fugas de presídios. Some-se a isso uma legislação feita sob medida para proteger bandidos e se terá um quadro dantesco do que está acontecendo por aqui, mas também em todo o Brasil. Há que se mexer profundamente nas leis, mas também no controle dos presídios. Encher presidiário de direitos e ficar cheio de dedos para manter os presos onde jamais deveriam sair, não vai resolver jamais a questão da violência nas cadeias e, principalmente, naquilo que mais nos interessa, a nós, brasileiros de bem: o que eles fazem fora das cadeias e quem os ajuda a fazê-lo.

PERGUNTINHA

Por que será que a atriz Regina Duarte, adorada pela mídia e chamada de Namoradinha do Brasil por décadas, tornou-se vilã de uma hora para outra, principalmente nas redes sociais, mas também tanto entre seus colegas artistas como na emissora onde tem contrato?