PORTO VELHO – Depois da fuga de onze presos da penitenciária ‘Ênio Pinheiro’ – a mais antiga do complexo prisional de Porto Velho – registrada na madrugada de sábado para domingo, três outras fugas de presos aconteceram na tarde desta segunda-feira, numa situação ainda mal esclarecida e, no mínimo, curiosa.

As primeiras informações dão conta de que – ainda não se sabe o número correto, se eram seis ou oito – um grupo de presos era transportados em uma van da Secretaria de Justiça, quando três teriam pulado do veículo em movimento e fugiram para a mata.

Esse é um dos problemas que contribui decisivamente para o aumento da criminalidade e para a sensação de impunidade que permeia a sociedade. Se o Estado não consegue manter presos aqueles poucos que são efetivamente alcançados pela Lei, como vai garantir a segurança pública, com tantos mandatos de prisão em aberto?

Não há ainda informações disponíveis sobre para onde estariam sendo levados os presos e como eles conseguiram abrir os cadeados das trancas do camburão da van.

Equipes da Polícia Militar, do Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal realizam buscas para tentar localizar os três apenados que se embrenharam na mata na altura do quilômetro 35 sentido Jaci-Paraná, em Porto Velho.

Os militares do Exército Brasileiro que estão em uma operação de barreira e proteção ao presídio federal e patrulheiros da Rodoviária Federal foram chamados para prestarem apoio nas buscas junto com a Polícias Militar.