Como nas palavras de Mário Sérgio Cortella: “se você não quer uma cidade suja, não jogue lixo na urna”

 PORTO VELHO – O candidato do MDB à Prefeitura, Williames Pimentel, gravou depoimento indignado em pleno alagamento em um dos inúmeros pontos de dramática e repetitiva incidência dessa verdadeira tragédia urbana para a população de Porto Velho. As palavras de Pimentel literalmente reverberaram o sentimento generalizado da população e viralizaram nas redes sociais. Por ali também circularam, às dezenas, manifestações contra a repetição, cada vez mais frequente, de um problema que os próprios engenheiros da Prefeitura já declararam ser plenamente possível de ser resolvido.

– “O sentimento é de indignação” – disse Pimentel, que continuou: “uma chuva de vinte minutos, no máximo trinta, é o bastante para invariavelmente causar tamanho transtorno à população de uma capital do porte de Porto Velho”. Os prejudicados são os empresários, os moradores, os trabalhadores de uma forma geral. Mas engana-se quem imagina que os danos param por aí. As águas retiram dos igarapés e espalham pelas áreas atingidas vetores de doenças como leptospirose, hepatite, tifo e diarreia, para agravar ainda mais os riscos da saúde pública caótica, de uma cidade já assolada pelo covid/19.

Enquanto isso, a Prefeitura permanece sem conseguir dar solução ao problema e limita-se a discutir com o governo do estado sobre a quem cabe a culpa pela grave situação que aflige a todos e que tem repercussão na saúde, na educação, no saneamento, enfim, em quase tudo. A dramática questão dos alagamentos, que transformam a cidade em uma lagoa, inclusive numa área às portas da Câmara dos Vereadores, presta-se pelo menos à avaliação cuidadosa dos eleitores.

O dia da eleição se aproxima. E a população tem nova oportunidade de escolher o candidato comprovadamente mais capaz, efetivamente credenciado pelo trabalho já apresentado. Ao silêncio culpado dos que não tinham, ou não sabiam, o que dizer, somaram-se as bobagens publicadas pelos que deveriam calar-se. A verdade, segundo Pimentel, está nas palavras de Mário Sérgio Cortella: “se você não quer uma cidade suja, não jogue lixo na urna”. Ou na advertência do poeta Pablo Neruda: Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências”.

Fonte: Assessoria