Um mulher que presta serviços ao próprio Ministério Público da Comarca de São Francisco teria participado do esquema montado pelo então candidato

SÃO FRANCISCO DO GUAPORÉ – O Ministério Público Eleitoral ajuizou Ação de Investigação Judicial Eleitoral com pedido de liminar para que seja determinada suspensão da diplomação do candidato reeleito ao cargo de vereador no Município de São Francisco do Guaporé, Flávio Barbosa Pereira.

Flávio Barbosa Pereira, o ‘Flávio Carequinha’ montou esquema de compra de votos, segundo o MP eleitoral

Na ação por abuso de poder político/econômico e captação ilícita de sufrágio, o promotor eleitoral Marcos Geromini Fagundes relata que o candidato, conhecido como ‘Carequinha’, comprou votos por intermédio de uma funcionária de empresa de segurança que presta serviço ao Ministério Público, na Promotoria de Justiça de São Francisco.

O esquema consistiria na realização de doações de vales de combustível e no pagamento a eleitores para afixação de adesivos de divulgação do postulante em veículos e residências da cidade.

Diante dos fatos, o MP requer o deferimento do pedido liminar, suspendendo a diplomação do candidato eleito e, ao final, que a ação seja julgada procedente, sendo decretada a cassação do registro ou do diploma de Flávio Barbosa Pereira, bem como declarada sua inelegibilidade e ainda de Lucimar Corim Raimundo, pelo período de oito anos subsequentes ao pleito eleitoral de 2020.

Fonte: Departamento de Comunicação Integrada (DCI/MPRO)

Print Friendly, PDF & Email