“É desrespeitoso e imoral o que se faz no Estado de Rondônia”. A frase é do deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), em pronunciamento na terça-feira (20) na sessão ordinária da Assembleia Legislativa ao abordar o aumento da taxa de energia elétrica em mais de 27%.

Foto: José Hilde

Para o deputado essa situação é uma clara definição dos impactos de um modelo de Governo que defende e trabalha a privatização. “O aumento da energia em Rondônia é resultado dessa política de Governo”. Lazinho defendeu que é preciso aprofundar o debate acerca do tema para se compreender a causa do aumento, uma vez que só se fala dos efeitos dessa política aplicada, e que é prejudicial à população.

O deputado Lazinho chamou a toda classe política rondoniense para união de debates e ações, bem como a população para lutar e enfrentar essa questão para uma reversão desse aumento considerado abusivo na energia elétrica.

“O povo precisa continuar lutando contra. E todos nós precisamos agir para não deixar o povo nesse problema, pois tem gente que não vai conseguir pagar a conta de luz”, afirmou.

Ainda em crítica ao governo, esclareceu que “se a empresa teve concessão em contrato para esse aumento abusivo é porque houve concessão do estado brasileiro para isso. A agência reguladora permitiu isso”, disse.

Governo federal

O deputado foi incisivo ao criticar o Governo Federal, desde a gestão de Michel Temer ao atual, pelo já descrito, modelo de política inserida no País, que retira direitos dos trabalhadores, principalmente. Exemplificou ao pontuar o estouro no preço do combustível, a quebra na sequência do aumento do salário mínimo, o fim de políticas públicas para o campo, entre outras que, de acordo com o deputado, reflete na vida dos trabalhadores e dos municípios. Destacou ainda como irresponsável e má gestão desse governo pela proposta de reforma da Previdência Social, que impede a conquista da aposentadoria e deixa passar a que seria justa cobrança de débitos da previdência por grandes empresas.

“Esse governo que está aí resolveu privatizar tudo. Age a troco de concessão a grandes empresas e tira do povo. Precisamos discutir sobre esse modelo de governo. O país não cresce concentrando renda”.

Alertou ao atual Governo que pare de falar do passado e governe para o povo brasileiro sem acabar com todas as conquistas da classe trabalhadora. E desejou que todos culpados reconheçam seus erros e os assumam. E reforçou para que o povo de Rondônia vá para rua e se manifeste contra o aumento da energia.