Laudo de exame de DNA elaborado pela Polícia Técnico-Científica identificou que o sêmen encontrado no corpo da idosa Ângela Cortes de Moraes, 68 anos, morta e estuprada no distrito de Abunã na madrugada do dia 10 de agosto, pertence ao acusado Felipe S. R (20 anos).

No dia seguinte ao crime, em frente à igreja onde ocorreu o velório da idosa, o cidadão R. S. N (36 anos) passou a ser acusado e agredido por populares. Uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e resgatou o homem que estava sendo linchado, sendo registrada ocorrência de lesão corporal.

Durante as investigações da Polícia Civil, foram apresentados para coleta de material biológico o cidadão R. S. N e, em seguida, o senhor F. A. M (72 anos) e Felipe S. R. (20 anos). Os perfis genéticos dos três homens foram minuciosamente analisados no Instituto de DNA Criminal da Polícia Técnico-Científica que possui certificação internacional de controle de qualidade e está integrado Rede Nacional de Bancos de Perfis Genéticos. Ao final, os Peritos Oficiais Criminais concluíram que o sêmen coletado no corpo da idosa é de Felipe S. R.

“O exame de DNA é uma prova técnica decisiva para esclarecer crimes e combater a impunidade, como também para evitar injustiças com a penalização de pessoas inocentes. A análise científica e imparcial realizada pelos Peritos Criminais é indispensável para a condução dos casos de natureza criminal, pois a prova pericial é desprovida da subjetividade comum nas provas circunstanciais e testemunhais”, disse o Diretor-Geral da Polícia Técnico-Científica, Domingos Sávio.

 

 

 

Fonte: Assessoria