De passagem pela cidade com o time do Rio Branco (AC), goleiro Bruno é assediado por vilhenenses, tira fotos e gera polêmica nas redes sociais; atleta foi condenado pelo crime de feminicídio

PORTO VELHO – A reação da opinião pública com a presença do goleiro Bruno, condenado e sentenciado pela morte e sumiço do corpo de Elisa Samúdio, ainda é de repulsa e não poupa nem mesmo quem não censura o goleiro. Essa reação foi verificada neste fim de semana, durante a passagem do goleiro pela cidade de Vilhena, onde seu time atual, o Rio Branco, do Acre, que enfrentou o Vilhenense pelo Grupo A1 da Série D. O jogo terminou empatado sem gols. Um jovem postou nas redes sociais uma foto ao lado do goleiro e sofreu um verdadeiro linchamento público.

Um estudante de engenharia mecânica, de 20 anos, foi atacado nas redes sociais, ao publicar uma foto ao lado do goleiro Bruno Fernandes, que esteve em Vilhena no último sábado, atuando pelo time do Rio Branco, do Acre. A partida entre o atual time do ex-goleiro do Flamengo e o Vilhenense, sem a presença de público, acabou em 0 a 0.

Segundo o jovem universitário, apaixonado por futebol, ele estava num restaurante na região central de Vilhena, quando a equipe acreana apareceu para jantar, depois da partida. O garoto estava participando do aniversário de uma amiga, que acontecia na parte superior do estabelecimento.

Quando desceu para ir embora, o estudante encontrou o goleiro, e pediu para tirar uma foto. Bruno já havia posado para fotos a pedido de outras pessoas, incluindo uma mulher, que estava no local em companhia dos dois filhos pequenos.

Quando publicou a imagem no Facebook e no Instagram, o vilhenense passou a ser alvo de comentários agressivos: “disseram que eu sou defensor de assassino, que apoio bandido, que passo pano para o feminicídio… também escreveram que eu sou tão ‘podre’ quanto o Bruno”.

Além do entrevistado, outros rapazes da mesma idade, que tiraram fotos com Bruno e publicaram a imagem sofreram saraivadas de críticas e alguns tiveram até que remover as publicações.

O jovem, que chegou a publicar um desabafo contra os ataques, se disse chocando com a violência verbal dos que comentaram a imagem, mesmo sem ele escrever nada a respeito do goleiro.

Fonte: Folha do Sul