Eduardo Japonês explica a reabertura “quase total” do comércio em Vilhena. Segundo ele, máscaras evitam em até 98% a transmissão do coronavírus

VILHENA – Depois de passar anos sob o julgo dos Donadons e da roubalheira generalizada da administração do atual condenado José Rover, a população de Vilhena, uma das principais cidades de Rondônia, experimente o jeito original de Eduardo Toshyia Tsuru ou simplesmente Eduardo Japonês de administrar.

Ele chegou ao comando da cidade depois de várias tentativas, sempre frustradas nas urnas e para um meio mandato, já que foi eleito para um mandato tampão, depois da cassação do mandato da então prefeita Rosani Donadon.

Há quase dois anos no cargo, até agora não surgiu nenhum caso de corrupção na administração do oriental.

Eduardo Japonês tem um jeitão bem simples de exercer o mandato, enfrentando os problemas junto com a população, promovendo debates para ouvir a opinião dos moradores.

Mesmo tendo condições financeiras, o prefeito preferiu se internar no hospital público da cidade, ao contrair o coronavírus, numa demonstração de humildade e de afeição aos moradores da cidade.

Esse jeito de Japonês não poupa nem mesmo seus colegas das cidades vizinhas, como no episódio em que o prefeito de Colorado do Oeste, o socialista José Ribamar, mandou uma paciente acometida de covid-19 para Vilhena, com um recado desaforado: “se não quiserem internar, chame a Polícia”, dizia o bilhete.

“Esse prefeito é um folgado. Folgado”, disparou o prefeito de Vilhena, com um vocabulário típico dos paulistanos e mostrando que é um político sem papas na língua e sem a frescura do politicamente correto.

Acompanhe a matéria veiculada pelo site parceiro do expressaorondonia, folhadosulonline.com.br:

Na manhã de quarta-feira, 8, o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês (PV) visitou a redação do FOLHA DO SUL ON LINE e falou sobre o afrouxamento das medidas de restrição, que permitirá a retomada de praticamente toda a atividade econômica na cidade.

As novas regras, que liberam diversos segmentos, começam a valer já na próxima sexta-feira, 10, só não permitem a reabertura de clubes, balneários, casas noturnas, cinemas e campos de futebol. Mas, mesmo estas atividades poderão ser permitidas em breve, dependendo de como se desenrola a pandemia de covid-19 na cidade.

O prefeito esclareceu que o Comitê Gestor que decide sobre restrições ou liberações de setores empresariais durante a pandemia resolveu, por unanimidade, abrandar as medidas, já que, em Vilhena, a situação está sob controle.

Eduardo explicou que, além da oferta de leitos para pacientes com o coronavírus estar controlada, a prefeitura deve receber uma doação de equipamentos, EPIs e medicamentos, o que permitirá expandir a estrutura pública de atendimento.

O líder vilhenense também comentou sobre o uso de uma máscara para garantir a ventilação de pacientes, sem a necessidade de entubação. O site já mostrou, ao relatar a recuperação de pessoas que estavam internadas, os bons resultados apresentados pelo equipamento.

IVERMECTINA

Japonês disse que começará, em breve, a distribuir para a população, Ivermectina, medicamento que, segundo ele, ajuda a combater os efeitos do coronavírus, se tomada logo nos primeiros sintomas ou até mesmo como prevenção. Ele baseia sua convicção na eficiência do produto com base em experiências práticas, relatadas por prefeitos de outras cidades.

O mandatário também cita o testemunho de um empresário amigo dele, que tem 230 empregados espalhados por várias cidades de Rondônia, e que estariam tomando Ivermectina, mesmo sem sintomas. “Nenhum contraiu o vírus até agora”, argumentou.

CUIDADOS

Eduardo disse que será fundamental, para manter o comércio aberto, reforçar a estrutura de Saúde para controlar a transmissão do corononavírus. E aconselha a população sobre as medidas de proteção: “evitem aglomerações, usem álcool em gel e nunca esqueçam da máscara, pois ela impede em até 98% as novas infecções”.

“É UM FOLGADO”

Japonês também não se omitiu, ao ser questionado sobre um episódio recente, que rendeu discussões acaloradas nos meios políticos e nas redes sociais: a transferência de uma paciente de Colorado do Oeste, com sintomas da covid-19, para o Hospital Regional de Vilhena, e que acabou virando caso de polícia.

Ao comentar o incidente, o vilhenense foi duro com o colega de Colorado do Oeste: “aquele prefeito é um folgado. Um folgado! Sabia que iria faltar vaga no Hospital Regional de Cacoal e não adotou medidas para garantir atendimento ao seu povo”, disparou.

Ainda sobre o episódio, Eduardo disse considerar que o prefeito de Colorado, Ribamar Oliveira (PSB), foi desrespeitoso, ao enviar a paciente com a recomendação de “chamar a polícia”, caso a internação dela fosse recusada. “Ele deveria ter me procurado, e oferecido alguma contrapartida, afinal, toda a estrutura para covid que instalamos em Vilhena foi custeada com recursos do nosso município e verbas que conseguimos. Por que ele não fez o mesmo lá?”, questionou.

O entrevistado lembrou que, recentemente, o prefeito vizinho foi às redes sociais para divulgar doações feitas por um frigorífico, para garantir atendimentos a pacientes infectados pelo coronavírus em Colorado. “Ele está na mesma atividade que eu, enfrenta dificuldades iguais, então sabe que um município não pode jogar suas responsabilidades para outro, principalmente quando se trata de salvar vidas”.

Ao finalizar seu desabafo, Eduardo pediu desculpas à família da paciente transferida, cuja internação ele mesmo autorizou. “Ao fazer essas críticas, é justamente para evitar que pessoas doentes passem por esse constrangimento, estou demonstrando meu respeito pelo povo coloradense”.

Com informações do Folha do Sul on Line