Quando um Presidente da República é condenado e preso por chefiar a maior quadrilha de achaque ao dinheiro ´público de toda a História e continua solto, dizendo besteira todos os dias, como se ele fosse santo e quem o condenou fosse bandido, o que esperar de um país desses?

Sérgio Pires

OPINIÃO DE PRIMEIRA – Que critérios se pode observar para vaticinar que há um país com uma sociedade decadente? Vejamos: talvez o primeiro item a se analisar seja o tipo de caráter de boa parte da população. Quando a corrupção, o jeitinho, o “deixa que eu resolvo”, quando se cria dificuldades não só no serviço público, mas também em muitas empresas, para vender facilidades, está se dando um passo concreto em direção do caos. Quando a mídia desse mesmo pais e parte da esquerdopatia se alia aos direitos de criminosos, invertendo os valores e criminalizando aqueles que têm a responsabilidade de dar segurança às pessoas de bem, que são a imensa maioria, ah!, aí está mais um claro sintoma de decadência. Quando uma jovem, linda e rica, mata os pais só por causa de dinheiro e se torna musa de parte da mídia e de percentual importante dessa sociedade, ela não está em plena queda moral e também em relação às leis que devem nortear uma nação que se respeite? Quando um psicopata estupra e mata uma criança de nove anos e aparece na TV como vítima de homofobia, quase um herói, não nos dá a certeza que estamos caminhando para um abismo sem volta? E quanto uma das maiores autoridades do país mandar tirar da cadeia um dos mais perigosos criminosos, responsável pelo tráfico de drogas que inferniza e destrói vidas (e essa autoridade ainda arrota razões legais para seu ato insano), não há uma certeza de que, enfim, essa sociedade corre o sério risco de estar caminhando, célere, para o precipício?

Vamos raciocinar: quando políticos roubam, de forma desavergonhada, dinheiro que deveria ser usado para salvar milhares de vidas, numa pandemia que mata todos os dias; quando políticos são pegos com cofres recheados de dinheiro e joias em suas casas; quando são flagrados fazendo negociatas e recebendo propina; quando são pegos com dinheiro dentro da cueca, não há um claro sintoma de uma doença social grave? Quando políticos se elegem garantindo que as esperanças da população serão prioridade e depois têm seus mandatos recheados de grana para si mesmos, para seus grupos, para suas famílias, o que podemos deduzir? Quando grandes empresas de comunicação, que sempre tiveram o respeito do público, tornam-se unicamente meios de divulgação de guerra a quem está no poder, apenas porque perderam benesses que só os cofres públicos podem oferecer, não dá um sentimento de tristeza e desesperança? Quando um Presidente da República é condenado e preso por chefiar a maior quadrilha de achaque ao dinheiro ´público de toda a História e continua solto, dizendo besteira todos os dias, como se ele fosse santo e quem o condenou fosse bandido, o que esperar de um país desses? Há alguma esperança, ainda, que esse país descrito nessas mal traçadas, vai mudar algum dia, antes que toda a sua sociedade se esfacele, entre toda essa situação, somando-se ainda radicalizações e fake news? Que cada um dê a sua resposta.

CUADAL É O NOVO NOME NA DISPUTA EM JI-PARANÁ

Ainda preso, o prefeito de Ji-Paraná, Marcito Pinto, fez o óbvio: renunciou à sua candidatura à reeleição. Ao contrário, por exemplo, do que fazia a prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues, que mesmo envolvida num enorme escândalo, filmada recebendo dinheiro de corrupção e que ainda pensava em disputar a reeleição, ao menos até esta quarta-feira. Na quinta, os comentários é de que ela também teria desistido. Em Ji-Paraná, uma grande coligação que apoiava Marcito se uniu agora (com exceção do PSB, que saltou do barco da aliança), ao advogado, professor e escritor Julian Cuadal. Ele foi apresentado oficialmente pelo presidente regional da sigla, o senador Acir Gurgacz, num evento que contou também com a presença da deputada federal por Ji-Paraná, Silvia Cristina. Gurgacz, aliás, se mantém firme como uma grande liderança política na região e ajudou muito a costurar a solução encontrada, depois do escândalo que envolveu Marcito, que, aliás, tinha sua reeleição praticamente garantida. Cuadal surge como um nome quentíssimo na sucessão em sua cidade. Já em Cacoal, Glaucione tinha avisado que faria sua campanha da prisão, mas desistiu da ideia. Infelizmente, a legislação brasileira permite que um preso seja candidato. É uma das aberrações da nossa lei eleitoral.

PESQUISAS: QUEM QUISER SE ILUDIR…

Duas pesquisas anteriores, feitas por partidos políticos, deram resultados completamente diferentes daqueles que o Ibope anunciou em seu primeiro levantamento de opinião do eleitorado de Porto Velho. Nas duas, por coincidência, quem as contratou estava em situação bem melhor do que a realizada pelo instituto nacional, que colocou Hildon Chaves em primeiro lugar, com quase o dobro do segundo colocado, Vinicius Miguel. Passa eleição, entra eleição, vai eleição e parece que os mesmos erros se repetem. Pesquisas sérias, podem dar muito errado, então imagine-se as que são feitas internamente nos partidos, principalmente os maiores, onde seus representantes sempre aparecem bem. A questão é muito simples: pesquisa é coisa séria, precisa ser feita com muita técnica, com dados científicos e frieza de números, para ter alguma ligação com a realidade. Quando isso não acontece (lembremo-nos do fiasco dos grandes institutos, na eleição Presidencial de 2018), a tendência é que os candidatos gastem dinheiro apenas para serem enganados. Como alguns foram, outra vez, na corrida municipal em Porto Velho. Quem quiser se iludir, que se iluda!

DINHEIRO NA CUECA: O BRASIL ENRUBESCE DE VERGONHA E RAIVA

Mais uma vez, um político proeminente faz o Brasil baixar a cabeça, da vergonha que ele nos expôs. Já não bastam a incompetência, a falta e respeito para com a população e com seus eleitores, a absurda falta de amor pelo país. Esse tipo de gente tem que escrachar sua canalhice, nos deixado ruborizados, tanto de vergonha quanto de raiva. Mais uma vez, um homem público – dessa vez um Senador, lamentavelmente – é pego em flagrante, com quase 30 mil reais escondidos dentro da cueca e mais de 100 mil reais escondidos em sua casa, tudo, segundo denúncias que levaram a Polícia Federal à busca do político, desviados de verbas que deveriam ser usadas para o combate ao coronavírus. O senador Chico Rodrigues, do Amapá, é mais uma dessas figuras que entram para o rol do lado putrefato da nossa política, onde homens e mulheres desqualificadas, são eleitos para representar seu povo, mas o que fazem é apenas ajeitar a vida pessoal e dos seus apaniguados. E o povo que se dane! O pior de tudo e que agora ficará aquela enrolação, porque gente como esse senador tem toda a proteção legal, mesmo sendo o criminoso que é e, infelizmente, não se sabe se ele terá a punição que merece. Pobre Brasil|!

PISTOLEIROS: POLÍCIA LIVRA PRODUTORES RURAIS DA VIOLÊNCIA

Não há mais dúvidas da ligação dos pistoleiros, assassinos de policiais em Mutum Paraná, com grupos de sem-terra que agiam na região e que agora dali foram retirados, por decisão judicial, que determinou a reintegração de posse da Fazenda NorBrasil, onde aconteceram os assassinatos. Pelo menos 15 suspeitos de terem participado dos crimes já foram identificados e dois deles já estão presos. Naquela região onde houve os ataques violentos e covardes contra os PMs (um morreu enquanto pescava, outro foi morto quando tentava resgatar o corpo do companheiro), há muito se sabia da existência de grupos organizados, fortemente armados, usando táticas de guerrilha, que infernizavam a vida de proprietários rurais. Ao atacarem de forma absurda os policiais, eles, finalmente, foram confrontados como deveriam ter sido há muito tempo. Escondidos nos grupos de sem-terra (muita gente do grupo jamais quis terra para plantar), esses bandidos violentos agora, até que enfim, vão enfrentar todo o peso da lei.

TUDO PRONTO PARA O FÓRUM AMAZÔNIA + 21

O sucesso dos eventos preparatórios para o grandioso programa Amazônia + 21, promovido pela Prefeitura de Porto Velho e parceiros, deixa que o Fórum Mundial que será realizado de forma virtual, os dias 4, 5 e 6 de novembro próximo, será um acontecimento mundial de peso, debatendo novamente as  grandes questões da nossa região. Nesta quarta, o último debate prévio foi realizado, colocando na pauta a vida das cidades amazônicas e as oportunidades de negócios sustentáveis. O Amazônia +21 vai acontecer também de forma virtual, gratuita e terá tradução simultânea para o inglês e para o espanhol. O Amazônia+21 é um fórum internacional permanente de diálogos, que busca fortalecer uma identidade cultural e econômica, com novos modelos de desenvolvimento regional sustentável para a região amazônica. A ação envolve os governos, o setor produtivo, sociedade civil organizada e fomento. A ideia é que o fórum seja realizado a cada dois anos. O empresário Marcelo Thomê, presidente da Fiero e representando a Prefeitura da Capital, é o coordenador do grande evento internacional.

TRE IMPUGNA CANDIDATURA DE AMAURI EM JARU

Pode mudar tudo na disputa pela Prefeitura de Jaru. O ex-prefeito da cidade e ex-deputado Amauri dos Santos, o Amauri dos Muletas, teve sua candidatura impugnada, pelo Tribunal Regional Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa, por ter condenação por improbidade administrativa. A candidatura já havia sido impugnada em primeira instância, pela Justiça Eleitoral de Jaru. Há ainda recurso ao TSE, mas não se sabe se haverá tempo hábil para que Amauri possa se manter em campanha, já que a eleição é daqui a menos de 30 dias. Amauri lidera uma coligação formada por PDT, PSD e PSB. Não há ainda decisão sobre uma eventual troca de candidato da coligação ou se Amauri continuará na briga, aguardando posição do TSE. Na disputa em Jaru, estão concorrendo o atual prefeito, João Gonçalves, e o apresentador de TV Sebastião Santana.

UMA TERRA COM GADO EM ABUNDÂNCIA

Nos anos 70, no auge do garimpo, alguém aí lembra se havia alguma cabeça de gado em Porto Velho ou nos seus distritos? Em meio século, saltamos do quase zero para mais de 1 milhão e 100 mil cabeças, colocando a capital rondoniense com a quarta colocada, em termos nacionais, em termos de rebanho bovino. Em nível nacional, Porto Velho fica atrás, apenas, de  São Félix do Xingu, no Pará, que tem 2 milhões e 200 mil cabeças;(Corumbá, no Mato Grosso do Sul, com 1 milhão e 100 mil e  Vila Bela da Santíssima Trindade, no Mato Grosso, com 1 milhão e 200 mil cabeças. Outras cidades rondonienses também tem grandes rebanhos, como Nova Mamoré, cidade próxima à Capital, que já chegou a 730 mil cabeças. Hoje, Rondônia tem o sétimo maior rebanho bovino do país, com mais de 14 milhões de cabeças. O garimpo dos anos 70 foi substituído por outra riqueza: a do agronegócio e da produção agrícola.

PERGUNTINHA

O que você achou da decisão da grande maioria dos ministros do STF, que mandou prender de novo André do Rapp, um dos maiores traficantes do país, solto por decisão monocrática do ministro Marco Aurélio de Mello?