Terceiro e quinto colocado no primeiro turno fecham com Hildon Chaves, enquanto Breno Mendes (3º colocado) se cala e o Patriotas anuncia neutralidade

PORTO VELHO – Enquanto a candidato Cristiane Lopes (PP) vai ad ministrando a rejeição ao Grupo Cassol e lutando com suas próprias dificuldades, o candidato Hildon Chaves (PSDB), que venceu o primeiro turno das eleições com uma margem de mais de 20 pontos percentuais a frente do segundo colocado, vai navegando em mares tranquilo rumo a reeleição. Depois de obter o apoio do terceiro colocado, Vinícius Miguel (Cidadania), neste quinta-feira, o tucano ganhou o apoio do candidato do Solidariedade, Coronel Ronaldo Flores, que ficou em quinto lugar ao final do primeiro turno.

Enquanto isso, nenhuma declaração de apoio substancioso à candidatura de Cristiane Lopes, que, em tese, deveria receber o apoio pelo menos de Breno Mendes, o candidato do Avante, que ficou em quarto lugar na corrida a Prefeitura da capital.

O candidato Breno Mendes não se manifestou até o momento, mas o Patriota divulgou, na tarde desta quinta-feira, uma nota pública em que libera seus filiados e simpatizantes a escolher o candidato que melhor lhes represente neste segundo turno.

Ou seja, o Patriota não vai declarar apoio nem a Cristiane Lopes nem a Hildon Chaves.

coronel Ronaldo, do Solidariedade, com Eliseu Müller: pontos em comum com a proposta de Hildon

Para os observadores da cena política local, apesar do bom desempenho no primeiro turno, a candidata Cristiane Lopes está sofrendo a rejeição ao grupo político do ex-governador e ex-senador Ivo Cassol, que é o dono do Progressista (partido de Cristiane) em Rondônia.

Pela simetria e alinhamento ideológico, era de se esperar que o candidato do Avante Patriota e do , Breno Mendes, viesse a declarar apoio a Cristiane. Os mais ferinos, contudo, afirmam que que deve haver algum resquício da relação entre Breno e Hildon que o impede de ir para o ataque contra o ex-chefe neste momento.