O problema começou com uma das 'grandes obras (?)' do ex-prefeito Mauro Nazif. Mas Hildon 'Pilatos' Chaves lavou as mãos. Povo que se vire

PORTO VELHO – A cidade de Porto Velho – onde o improvável sempre acontece – tem um fim de semana sem transporte coletivo e sem perspectiva se terá ônibus circulando para garantir o transporte dos trabalhadores na segunda-feira. Até agora, tudo que a Prefeitura da Capital fez foi divulgar uma nota se eximindo da culpa pelo problema e ameaçando de multa o sindicato dos cobradores e motoristas.

No ocaso de sua administração – desde que enganou a população em 2016, com um discurso de negação política e se dizendo empresário competente e de sucesso – o prefeito Hildon Chaves teve os últimos três anos para encaminhar uma solução para o problema. Mas, preferiu empurrar com a barriga, como fez com a Educação e a Saúde

É o típico e velho hábito político de só se importar com as coisas essenciais para a população (eleitorado) no ano da eleição.

Depois…

Ora, depois, o povo que se dane!

À despeito da nota divulgado neste sábado pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Semtran), o advogado e líder sindicalista Itamar Ferreira publicou nas redes sociais algumas considerações sobre o tema.

Segundo Itamar, Hildon Chaves deu uma de Pilatos na questão do transporte público: lavou as mãos.

Veja, na íntegra, a publicação do advogado Itamar Ferreira:

Como Pilatos, a administração de Hildon Chaves lava as mãos…

… tenta se eximir da responsabilidade, por ação e omissão, do caos em que se transformou o transporte coletivo da Capital…

… o problema começou quando Mauro Nazif decidiu acabar com o “monopólio de duas empresas”, criando um com uma única empresa…

… mas foi agravado por Hildon ao ser incompetente, mantendo um contrato temporário, e não licitando, até hoje, novas empresas…

Foi agravado, também, quando Hildon reduziu a passagem de estudante para um R$ 1,00, o que é justo, mas não colocou 1 centavo de subsídio no sistema, elevando enormemente o valor da passagem, que aliado ao péssimo serviço, incentivou os passageiros a buscar o transporte alternativo/compartilhado…

Agora a Semtran tem a desfaçatez de ameaçar o Sindicato Sitetuperon com multas, para tentar obrigar os trabalhadores a trabalharem sem receber salários.

Convenhamos, é muita cara-de-pau dessa administração!

Itamar Ferreira