Parte do Parque Nacional Pacaás-Novos, em Rondônia

ALEX NUNES (Secom)
e REDAÇÃO

A invasão de áreas no interior do Parque Nacional Pacaás-novos e da Terra Indígena Uru-eu-au levou o governador Confúcio Moura a Brasília. Na quarta-feira (18) ele denunciou a situação ao ministro do Meio Ambiente José Sarney Filho.

Confúcio Moura é autor do romance A Flecha, no qual narra uma parte da vida desse povo indígena e da presença do branco em seu território que no passado fora defendido pelo sertanista e ex-presidente da Fundação Nacional do Índio, Apoena Meireles.

No encontro, o governador sugeriu medidas e pediu providências urgentes que interrompam o que ele classifica de “ações criminosas” na região. Ele entregou ao ministro documentos com fotos de maquinários pesados abrindo clareiras na floresta.

No município de Campo Novo de Rondônia, o Parque Nacional de Pacaás Novos (708 mil hectares) foi criado pelo Decreto Federal Nº 84.019 de 21 de setembro de 1979.

Até 2015 ele era uma das poucas áreas protegidas ainda totalmente preservadas, entretanto, a partir de dezembro daquele ano lideranças na região alegaram que “áreas de florestas pertencentes à União poderiam ser loteadas e futuramente legalizadas.”

A denúncia cita que, entre os invasores estão garimpeiros, ex-garimpeiros e pessoas que se autodenominam “sem terras”.

Também são descritos indícios de que grandes comerciantes e fazendeiros locais fomentam invasões fornecendo cestas básicas e pagando diárias a pessoas de baixa renda que executam os trabalhos de desmatamento e demarcação de lotes.

O governador ressaltou que o Parque de Pacaás em Campo Novo deve ser um patrimônio da humanidade.

Confúcio conversa com Sarney Filho

O ministro demonstrou-se bastante preocupado com o fato, e pediu a presença na reunião do presidente do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Ricardo Soavinski, e sua equipe técnica. “Vejo que o governador se preocupa com a preservação e sustentabilidade. Que a gente possa dar um destino adequado a nossas florestas para continuar prestando serviço ambiental, ao mesmo tempo que ajude a diminuir a combater a pobreza”, frisou.

O ministro ainda declarou que vai encaminhar  a equipe técnica do órgão para iniciar ações com o objetivo de solucionar o caso e agendou para dia 9 de fevereiro uma vista ao Estado de Rondônia para tratar especificamente sobre desmatamento. Além do ministro.

Também participaram da reunião, a superintendente de Integração do Estado de Rondônia em Brasília, Elizete Lionel; os chefes de gabinete do MMA, Carlos Henrique de Souza Pereira e Diva Carvalho, além do secretário do MMA, Edson Duarte.

Print Friendly, PDF & Email