A trajetória da mulher na política brasileira registrada pelo TSE

PORTO VELHO – Está disponível na Biblioteca do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a obra Representação Feminina na Política: Informações Selecionadas, uma compilação de documentos que retratam, em ordem cronológica, a trajetória da conquista dos direitos políticos das mulheres no Brasil. A publicação conta com 63 referências, contendo título, link e resumo, que relatam a história de mulheres que alcançaram posições de poder e registram o momento político em que se deu cada conquista. As informações estão dispostas em ordem cronológica decrescente de publicação, ou seja: da mais recente para a mais antiga.

Odaísa Fernandes foi a mulher que, pelo voto, alcançou diversos postos políticos: vereadora, deputada estadual, deputada federal e vice-governadora

CATÁLOGO

A publicação está disponível para consulta e download gratuitos no Catálogo de Publicações da Biblioteca do TSE.

URNAS RESERVAS

Até à metade da tarde de ontem, o TSE somava a substituição de 476 urnas eletrônicas das 97.024 que iniciaram a votação nas 57 cidades que estão tendo 2º turno das eleições municipais. São Paulo foi o Estado que registrou maior número de urnas substituídas. Em segundo lugar, com 129, o Rio de Janeiro..  Ainda segundo o TSE, as 476 urnas substituídas correspondem a 0,33% do total de equipamentos utilizados neste segundo turno.

NÚMEROS

Das 25 capitais estaduais onde houve 1º turno, em oito não houve returno. A 26ª capital, Macapá não teve eleição.

NÃO AO PCdo B

Em São Luís o governador Flávio Dino, do Partido Comunista do Brasil, foi o grande perdedor. Ele pediu votos para o candidato Duarte Júnior, do Republicanos. Com menos de 4% de urnas a serem apuradas, o deputado federal Eduardo Braide, do Podemos, já tinha vitória assegurada porque o candidato do governador, Duarte Júnior, conseguira apenas 44%. A vice será Esmênia Miranda, do PSD.

FIM DO MITO?

Outro perdedor na capital são-luisense foi a família Sarney. Indicou um nome para prefeitura, mas desistiu porque não foi ir além de 4% nas pesquisas.

DISPUTA FEMININA

Na única disputa feminina no Brasil, ontem, a Professora Elizabeth (PSD), que era vice-prefeita, venceu sua adversária, Mabel Canto (PSC), na cidade de Ponta Grossa, a única cidade do Paraná que teve disputa em segundo turno. Elizabeth ganhou com apoio declarado do governador Ratinho Junior.  A vitória de Elizabeth ainda pode ser considerada uma virada já que Mabel Canto contou com 37,27% dos votos, acima dos 31,15% da pessedista no turno.

GOLEADA

O PSD (Partido Social Democrático) no Paraná foi o grande vitorioso nas Eleições, e conquistou 129 das 399 prefeituras.

EM MANAUS

O candidato Amazonino Mendes, 86 anos, deve pendurar as chuteiras, depois da nova derrota pela prefeitura de Manaus, mas mesmo assim mostrou que tem fôlego, com 48% dos votos do returno, vencido por David Almeida, que ultrapassou 51%. Mas há quem diga que ele Amazonino pode pensar em ser candidato em 2022.

SÃO PAULO

O candidato apoiado pelo PT, etc, Guilherme Boulos, perdeu para o reeleito Bruno Covas, do PSDB.

TRI-PERDEDORA

Em Porto Alegre o PCdoB com apoio de associados de sempre, perdeu a disputa pela prefeitura, a terceira derrota de Manoela d’Ávila pelo “Paço dos Açorianos”, apesar a miríade de “grandes nomes que a apoiaram, desde Lula passando pela acreana Marina Silva, Ciro Gomes (PDT) e “celebridades” como Gilberto Gil, Caetano Veloso e uma miríade de artistas globais juntaram-se à campanha, dando cara e voz à ex-vice do candidato petista à Presidência República.

O PREFEITO

Em Porto Alegre o eleito foi o emedebista Sebastião Melo, que defende menos burocracia para incentivar a economia.

Por: JL Albuquerque, com informações da AgênciaBrasil

Print Friendly, PDF & Email