O registro de pessoas curadas da covid-19 já representa mais da metade do total de casos acumulados (55,6%)

PORTO VELHO – O Ministério da Saúde registrou, neste sábado, 4, o total de 876.359 pessoas curadas do coronavírus em todo o país. O número é superior à quantidade de casos ativos (636.380), que são pacientes em acompanhamento médico.

O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (55,6%). As informações foram enviadas pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

INSCRIÇÕES

Os interessados em participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já podem consultar as vagas que estão sendo oferecidas para a segunda edição do processo deste ano. No total, 51.924 vagas serão disponibilizadas para os estudantes em 57 instituições de ensino superior públicas. Mas as inscrições só terão início na próxima terça-feira, 07, e serão encerradas no dia 10. A consulta deve ser feita no site do Sisu. Essa etapa é destinada aos candidatos que querem pesquisar as graduações e instituições disponíveis e identificar quais são as de interesse, para que assim, possam se preparar melhor para o período de inscrições. Entre os dias 7 e 10 de julho, uma vez por dia, o sistema fará um cálculo indicando a nota de corte para cada curso.

NOTA DE CORTE

O cálculo da nota de corte, no Sisu, é determinado a partir do interesse dos candidatos inscritos em um curso, por modalidade de concorrência. Isso significa dizer que quanto maior for a procura, maior será a nota de corte. O candidato precisa estar atento e monitorar diariamente sua posição, pois a depender da sua colocação, pode haver a necessidade de alterar a opção de curso ou de universidade. Os estudantes podem acompanhar a inscrição pelo site ou aplicativo. As plataformas dão acesso às classificações parciais, finais e à lista de aprovados.

IGREJAS

Após três meses fechadas para evitar aglomerações, devido à pandemia de covid-19, igrejas, templos e demais atividades religiosas puderam reabrir sábado (4) no Rio de Janeiro para cultos, missas e rituais com a presença de fiéis. Na missa da manhã na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, na região central da cidade, os fiéis encontraram marcações no chão para indicar a distância que deveriam manter antes de entrar no templo, totem para higienizar as mãos com álcool em gel e medição da temperatura.

DOUTORES DA AMAZÔNIA

A ONG Doutores da Amazônia, junto com a plataforma de telemedicina Mymedi, encontraram uma maneira para que os povos indígenas de Rondônia não ficassem sem assistência médica em um dos momentos mais difíceis da saúde brasileira. A solução encontrada para que várias comunidades indígenas não ficassem desamparadas foi a aplicação do método de consultas onlines, o que só foi possível devido a empresa de telemedicida Mymedi, que disponibilizou o acesso gratuito à sua plataforma digital para todos os médicos parceiros do Doutores da Amazônia.

SURUI

O projeto da “Doutores da Amazônia” vai começou com atendimento ao povo Suruí, localizado em Rondônia e que conta com 1.500 indígenas distribuídos em 28 aldeias. Para ele, o futuro aponta que mesmo após a pandemia, o atendimento às comunidades indígenas será mesclado: atendimento presencial associado às facilidades da teleconsulta.

Com informações da AgênciaBrasil