RONDÔNIA – Durante três dias, o Fórum Mundial Amazônia+21 reuniu de forma virtual 110 painelistas, 120 instituições e representantes de 18 governos estaduais. As palestras foram transmitidas para milhares de pessoas, de forma online e gratuita, numa iniciativa inédita que atendeu a todas as recomendações do Ministério da Saúde para a realização de um evento desse porte durante a pandemia.

“O momento que vivemos mostrou que é ainda mais importante falar sobre a sustentabilidade e apontar caminhos para o desenvolvimento da região amazônica, tão importante para o Brasil e para o mundo”, considerou o coordenador de conteúdo do evento, Marcos Mueller Schlemm.

Para ele, ao transgredir os limites da natureza “o homem, em sua arrogância, acabou passando dos limites e fazendo surgir ameaças como o coronavírus”.  Por isso, discutir uma nova relação com a natureza é tão fundamental.

“Ações que devem ser colocadas em práticas para garantir um movimento mais sustentável foram discutidas durante o evento e devem permanecer sendo abordadas. O Fórum não se encerra no evento”, disse Schlemm.

Os conteúdos abordados, que podem ser acessados no site do evento, estão relacionados principalmente com a diversidade e riqueza da Amazônia, com a ciência e tecnologia para o desenvolvimento sustentável; com o conhecimento sobre os saberes da floresta e sobre a Amazônia; com a visibilidade às iniciativas, projetos e novos negócios e com a necessidade de transformar protegendo o bioma amazônico.

Próximos passos

O presidente da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO) e da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Marcelo Thomé, que também é coordenador do Fórum Mundial Amazônia + 21, salienta que os próximos passos serão estruturar todo o conhecimento produzido durante o evento.

“Vamos dar uma devolutiva formal para a sociedade sobre os resultados do Fórum e apresentar um Plano de Trabalho com projetos e ações de curto, médio e longo prazo”, disse Thomé.  Além disso, devem ser publicados cadernos setoriais ligados à bioeconomia e à Amazônia, tendo como base os conteúdos debatidos no evento, conforme ele ressaltou.

O diretor técnico da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Armando Moreira Filho, reforça que os organizadores se comprometeram a entregar um fórum com diálogos de alto nível, sem posicionamento ideológico e aberto para ouvir a sociedade civil e representantes das iniciativas pública e privada. E foi isso que aconteceu. A gente encerra um ciclo e começa outro”, enfatizou.

Armando reforçou que a continuidade de diálogos dependerá da convergência e do empenho de todos.  Além de transformar a discussão realizada nos últimos três dias em um diálogo permanente, os organizadores já começam a preparar o próximo evento, que deve acontecer em 2022.

 Amazônia+21

O Fórum Amazônia+21 é uma iniciativa para mapear perspectivas e buscar soluções para temas relacionados ao desenvolvimento da região e melhoria da qualidade de vida dos mais de 20 milhões de cidadãos que vivem na Amazônia Legal.

O evento é uma realização da FIERO, prefeitura de Porto Velho, através da ADPVH, com correalização da CNI e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Todas as palestras estão gravadas no canal do Youtube da CNI, e a cobertura completa de todos os debates pode ser acompanhada na página do Amazônia+21.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da FIERO