Parlamentar explica que o cuidado e a fiscalização devem ser maior, se o gado não for mais vacinado

PORTO VELHO – O deputado Adelino Follador (DEM), lembrou, na sessão ordinária desta quarta-feira, 4, que a retirada da obrigação da vacinação contra febre aftosa será discutida na tarde de hoje, na Assembleia Legislativa. A agência Idaron informará se foram cumpridas todas as metas necessárias para decidir se o gado de Rondônia não precisa mais ser vacinado.

O parlamentar lembrou ser preciso o apoio da sociedade para que a decisão seja tomada. Ele acrescentou que, desde sua criação, no governo Bianco, a Idaron tem funcionado bem.

“Pedimos a renovação de contratação dos nove veterinários para a agência, e solicito que depois sejam contratados mais. É importante que a Idaron continue monitorando, mas os produtores também precisam colaborar”, afirmou o deputado.

Ele lembrou que 60% do PIB de Rondônia vem da pecuária. Assim, avisou que, se a vacina for retirada, é preciso uma fiscalização ainda mais intensa para que os resultados alcançados sejam mantidos.

“A pecuária é o carro-chefe de Rondônia. Assim, fui o que mais questionou a retirada da vacina. Sou de um Estado que retirou a vacinação e depois teve que voltar atrás. É preciso agir com segurança”, adiantou Adelino Follador.

Foto: José Hilde-Decom-ALE-RO