PORTO VELHO – O espetáculo teatral “Confidências de um espermatozoide careca” produzido e apresentado pelo Grupo “Raízes do Porto”, festejou no último dia 1º, 20 anos da primeira exibição da peça que até  hoje lota as casas de espetáculo onde é encenada.

O ator Giovanni Berno responsável pela montagem além de fazer o papel do Espermatozóide, lembra cada minuto da “batalha”, que foi conseguir montar a peça em Porto Velho e depois, sair apresentando por todo o estado de Rondônia e em estados vizinhos. Acompanhe o relato do Geovani Berno.

RELATO

Para quem não sabe, além de publicitário e jornalista sou ator profissional desde os 15 anos, quando iniciei na atividade artística no grupo Presença, em Santa Maria, com o diretor Freire Junior, a quem devo muito pela minha formação teatral e intelectual.

Chegando a Porto Velho no ano de 1996 demorei a conhecer o pessoal do teatro, até que encontrei a Suely Rodrigues trabalhando no Sesc e eu no departamento de eventos da TV Rondônia. E sabem o mais engraçado de tudo isso? Ela, em uma das andanças da vida havia passado com sua peça teatral “Eu, Vocês e Eles” por Santa Maria. Ela me viu em cena e eu a vi, mas acabamos por não nos conhecer. Mas quis o destino que anos mais tarde nos reencontrássemos e, de pronto, lancei o desafio da montagem da peça “Confidências de um espermatozoide careca”.

Demorei quase quatro anos a convencê-la na empreita, até que ela aceitou após uma longa conversa onde passei minhas ideias de cortes no texto, na ideia de um outro ator e ela veio com seu talento moldar e me ajudar a construir estas participações, a me corrigir em cena, a reunir a galera de apoio do espetáculo e eu, nos tempos de folga do trabalho na Amppla Propaganda ia atrás de apoios para poder colocar este espetáculo em cena.

Aqui quero fazer um parêntese todos especial a Unimed, Unipec (hoje Uniron), Supermercado Gonçalves e ao Grupo Milla. Foram eles que primeiro acreditaram e investiram em um ator até então desconhecido e, assim, conseguimos levar o riso, a diversão, a reflexão e a cultura para mais de 15 mil pessoas nestes 20 anos de atuação em Porto Velho, Cacoal, Ji-Paraná, Rio Branco.

Sim, no dia 1 de novembro de 2000 eu estreiava nos palcos rondonienses tomado de grande emoção para uma platéia seleta de convidados, familiares, patrocinadores e imprensa. Se me perguntarem lembro de cada detalhe do dia anterior (que foi o da montagem de cenário, ensaio geral, afinação de luz), do choro que me invadiu o peito quando o querido Gibassan levantou aquele pano pintado com os espermatozoides voadores. Quando a luz acendeu pela primeira vez. Como diz o Rei Roberto, foram muitas, mas muitas emoções e que me acompanham até hoje.

Por isso, quero de público agradecer ao grupo Raízes do Porto na pessoa da Suely Rodrigues que foi quem primeiro acreditou. Sem ela eu não existiria provavelmente nos palcos rondonienses. E a todos que participaram deste projeto: os atores Ery Oliveira, Odinaldo Silva, Juraci Júnior, Jailton Viana. O pessoal de apoio: seu Osias, Arlete Vrena, Zaine Diniz, Kenny Frazão. E sem dúvida a todos os veículos de comunicação que sempre abriram as portas para divulgação, entrevistas, publicação de releases.

Por fim, quero dizer que estava programada uma apresentação neste dia 1 de novembro, mas a pandemia nos impossibilitou de executar. Mas tenham certeza de que esta data será comemorada fora de época. Aliás, Porto Velho já está acostumada a comemorar seus eventos fora de época. Apenas entrei na brincadeira. Portanto, se tem uma palavra que resume tudo, é gratidão!

 

 

Por Silvio Santos