JI-PARANÁ – Atualmente, uma das principais obras em andamento do Governo de Rondônia é o encabeçamento da ponte sobre o rio Urupá, na RO-135, em Ji-Paraná. Com os serviços sendo executados diretamente pelo Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), ganhando assim celeridade e eficiência, faltam poucos dias para a entrega à população.

Trabalho do DER na segunda cabeceira da ponte sobre o rio Urupá segue em ritmo acelerado

De acordo com o residente regional do DER no município, engenheiro Klayson Furtado, “apesar de todas as restrições econômicas e de saúde causadas pela pandemia da Covid-19, estamos conseguindo manter o ritmo de trabalho e executar dentro do cronograma planejado, com cerca de 90% dos serviços concluídos até agora”. A força-tarefa, que vem trabalhando nesta obra, é composta por servidores da Residência Regional e Usina de Asfalto do DER de Ji-Paraná.

No último dia 22 de outubro, o governador Marcos Rocha esteve no local juntamente com o diretor-geral do DER, Elias Rezende, vistoriando a finalização com asfaltamento de 224 metros da primeira cabeceira voltada para a cidade.

Já foram pavimentados 224 metros na primeira cabeceira

Nos próximos dias serão concluídos os trabalhos de terraplanagem, com sub-base e base, para imprimação e pavimentação dos 391 metros da segunda cabeceira. Ao todo são 615 metros de obra executada diretamente pelo DER com recurso próprio do Governo de Rondônia, além de uma ciclofaixa a ser estabelecida onde está a velha ponte.

A RO-135 em Ji-Paraná faz a ligação da área urbana do município com o distrito de Nova Londrina, chegando até a BR-429, que dá acesso ao Vale do Guaporé. A ponte sobre o rio Urupá possui 11,2 metros de largura e uma extensão de 150 metros, fruto de um investimento de mais de R$ 6 milhões do governo estadual. De acordo com o residente Klayson Furtado, a ponte elimina um gargalo no trânsito até o distrito industrial, anel viário, universidade e condomínios que se localizam na região.

Execução direta garante economia de até 50% nos custos da obra

Elias Rezende ressalta que este trabalho vem sendo feito não apenas em Ji-Paraná, bem como nos quatro cantos do Estado. “A determinação do governador Marcos Rocha é para que o DER resolva com o máximo de eficiência os principais gargalos na infraestrutura rodoviária de Rondônia. Estamos com frentes de serviço na estrada do Belmont, na Capital; na RO-133, em Machadinho d’Oeste; na RO-470, em Vale do Paraíso; na RO-135, em Ji-Paraná; na RO-399, entre Cerejeiras e Pimenteiras do Oeste. Além de toda a malha sem pavimentação sob responsabilidade das 14 residências regionais do DER que continua recebendo manutenção, faça chuva ou faça sol”, detalha.

No DER, as ações estão voltadas à padronização, com vistas à qualidade dos resultados, “desde a identificação de prioridades, garantia do melhor uso dos materiais e equipamentos até a valorização do quadro técnico e operários. Assim, a missão de alcançar melhores resultados, gerar economia, evitar desperdícios de materiais e retrabalho é concretizada no que estabelecemos como Projeto Gestão na Estrada”, conclui o diretor-geral do DER.

 

 

 

Fonte
Texto: Luiz Augusto Rocha
Fotos: Luiz Augusto Rocha
Secom – Governo de Rondônia