Famílias, no entanto, ainda não anunciaram intenção de processar causadores do acidente

VILHENA – Embora as famílias das vítimas ainda não tenham anunciado a intenção de recorrer à Justiça para receber indenizações pela morte de quatro pessoas em acidente nesta sexta-feira, na BR 364, tudo leva a crer que o caso irá parar nos tribunais. As quatro vítimas, todas moradoras da cidade de Pimenteiras, faleceram após o carro em que viajavam de Pimenteiras para Cacoal bater contra um cavalo solto na pista da BR-364 entre Vilhena e Pimenta Bueno.

Neste caso, que tem precedentes em vários tribunais pais afora, a ação judicial (possivelmente milionária) deverá ser movida contra o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), responsável pela rodovia federal onde aconteceu a tragédia.

O dono do animal, que ainda não foi identificado, também deverá responder pelo acidente fatal, e só conseguirá se livrar de condenação se comprovar que não agiu com negligência.

A compensação em dinheiro, explicou um advogado ouvido pela Folha do Sul on Line sobre o episódio, “não vai trazer ninguém de volta, mas é um alento para os familiares dos mortos, principalmente os que serão afetados pela redução da renda decorrente da perda do ente querido”.

Casos assim, porém, tramitam durante anos nos tribunais até terem o desfecho definitivo.

Fonte: Folha do Sul on Line

Print Friendly, PDF & Email