Marcando presença nas atividades da Semana Pedagógica de Trânsito 2019, na manhã desta terça-feira (26), a professora Benedita Oliveira, diretora adjunta do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), agradeceu a presença e o envolvimento dos técnicos e convidados, afirmando que é necessário formar cultura, com ensinamento, para se ter uma melhoria contínua das relações no trânsito.

Foto: Jérson Magalhães

Segundo ela, o projeto do Governo de Rondônia para o Detran, que tem a orientação e incentivo do governador Marcos Rocha, é dirigido basicamente a educação, exatamente como estratégia de formação de cultura, principalmente entre os jovens, de modo que seja sedimentada a ideia de um trânsito mais humanizado e com baixos índices de violência.

CARNAVAL E SEGURANÇA

Ao sair do evento realizado na Escola de Governo no Palácio Rio Madeira, Benedita Oliveira disse que a prioridade neste momento é com a segurança no carnaval, e que o Detran já está com seu bloco na rua, levando informações e orientações de práticas saudáveis para um carnaval e muita alegria e segurança para todos. Ela destacou que ponto central das campanhas de orientação do Detran é basicamente em relação ao consumo de bebida e direção, que considera uma mistura fatal. “Todos devem ter consciência dos riscos de dirigir embriagado”, disse alertando aos foliões nessa condição quanto a necessidade de optar pelo transporte alternativo (taxi, uber e ônibus).

Foto: Ivi Fideles

A diretora do Detran voltou a citar que para cumprir sua missão e atender a demanda pelos seus serviços, a autarquia atua de duas maneiras. A primeira, pela educação, com campanhas educativas conscientizando a população sobre os riscos envolvidos no trânsito e sobre a importância de se observar e obedecer a legislação, no que se refere ao binômio álcool e direção. A segunda, por meio da repressão, medida que o Detran desenvolve e que é considerada também fundamental. Por fim, ela ratificou as palavras do diretor-geral Neil Gonzaga, destacando que “só são punidos pela Lei Seca os condutores que estiverem em desacordo com a legislação, diferentemente dos condutores conscientes e legais, que passam pela fiscalização e são liberados para seguirem seus destinos”, arrematou.