Parlamentar cobrou ainda a construção de um stand de tiro conseguido através de Emenda Parlamentar de sua autoria

PORTO VELHO – O presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado estadual Anderson Pereira (Pros), em reunião na tarde desta segunda-feira (21) com o secretário Marcus Rito, da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), tratou sobre a compra de armas de fogo para ser acautelada aos policiais penais. A proposta, segundo o parlamentar, visa dar condições aos profissionais para garantir a integridade física pessoal, bem como de seus familiares, quando fora de serviço.

O parlamentar que também é policial penal, se comprometeu em destinar um valor através de emenda parlamentar individual e buscar parceria com demais parlamentares com emendas coletivas para a compra do maior número possível de armas de fogo. Segundo o parlamentar, armas de fogo e munições estão entre os produtos com maior carga tributária do país, chegando a mais de 120% sobre o valor de equipamentos importados.

“Imperioso lembrar que os policiais penais de Rondônia têm um dos menores salários do Brasil, ficando inviável para os mesmos a compra de arma, pois comprometeria seu sustento e de sua família”, ressaltou o deputado.

O secretário Marcus Rito parabenizou o deputado Anderson pela preocupação com a segurança e o bem estar do policial penal e disse que vai buscar junto ao Fundo Penitenciário – FUPEN, para somar junto ao valor que será destinado pelo parlamentar para a aquisição das armas e, vai cuidar de toda parte burocrática que compete a Sejus, para esse projeto se concretize no ano de 2021 e a categoria tenha esse grande ganho na sua segurança pessoal, disse o secretário de Justiça.

Por fim, Anderson questionou sobre a entrega do stand de tiro, construído através de emenda parlamentar de sua autoria e foi informado, que a construção está em fase de conclusão de detalhes de segurança importante e administrativa e que o mais breve possível fará sua inauguração e entrega oficial, dando condições para o aprimoramento dos policiais e servirá para formação e capacitação continuada ministrada pela ESEP – Escola Estadual de Serviços Penais.

 

 

 

 

Texto e foto: Assessoria