A decisão garantiu a eles o direito de cumprir prisão domiciliar; eles haviam sido presos pela PF em RO, no dia 25 de setembro

PORTO VELHO – Dois meses de decretar a prisão de quatro prefeitos de Rondônia, o desembargador Roosevelt Queiroz flexibilizou a media na manhã desta quarta-feira e autorizou a prisão em domicílio para Marcito Pinto, prefeito afastado de Ji-Paraná; Luizão do Trento, prefeito afastado de Rolim de Moura; Glaucione Rodrigues, de Cacoal e Gislaine Clemente, de são Francisco do Guaporé e presidente da Associação dos Municípios Rondonienses (Arom).

Uma decisão judicial proclamada na manhã desta quarta-feira, 25, pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, garantiu a prisão domiciliar aos prefeitos que foram presos na Operação Reciclagem, da Polícia Federal, ocorrido no dia 25 de setembro de 2020.

Dessa forma, Marcito Aparecido Pinto (Ji-Paraná); Glaucione Maria Rodrigues Neri (Cacoal); Gislane Clemente(São Francisco do Guaporé); e Luiz Ademir Schock (Rolim de Moura); estão autorizados a cumprir prisão em casa.

O relator do processo, desembargador Rosevelt Queiroz Costa, na decisão afirma que os quatro terão que seguir algumas medidas cautelares como: proibição de acesso ou frequência às prefeituras e outros órgãos da administração municipal; comparecimento em juízo sempre que intimados; não podem manter qualquer contato com os demais investigados; não podem se ausentar do município sem determinação judicial; devem ficar em casa depois das 19 horas todos os dias, mesmos nos finais de semana e feriados.

A ex-prefeita Glaucione, de Cacoal, não poderá manter contato com o marido, o ex-deputado Daniel Neri, que também havia sido preso nessa mesma operação, mas conseguiu prisão domiciliar por estar sofrendo de câncer.

Com informações do rondoniaovivo.com

Print Friendly, PDF & Email