PORTO VELHO – A Turma XX do curso de Medicina da Faculdade São Lucas também adiantou a colação de grau conforme autorizado pelo Ministério da Educação (MEC) e publicado em portaria datada de 6 de abril, do Diário Oficial da União (DOU). Na última sexta feira (31), o Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) realizou a solenidade de entrega das Carteiras Profissionais que regularizam a prática da profissão aos 25 médicos que estiveram presentes.

Na solenidade o primeiro secretário, Dr. Raitany Almeida, reforçou a importância do respeito ao Código de Ética Médico (CEM), que tem sido entregue junto a carteira profissional. “Ele contém as normas que devem ser seguidas no exercício dessa profissão. Direitos e deveres que devem conduzir o dia a dia de todos nós focando sempre em uma medicina de qualidade que a sociedade merece”, destacou.

Presente também na cerimônia, o presidente do Cremero Dr. Robinson Machado ressaltou que as atribuições da “Casa do Médico” vão além do serviço burocrático de emitir as carteiras profissionais. “Entre os diversos departamentos a disposição da população e dos profissionais, destacamos aqui o excelente trabalho que tanto a Corregedoria quanto a Fiscalização tem exercido no nosso Estado. Um em defesa direta da população e o segundo primando por condições de trabalho adequadas para os profissionais. Sejam sempre bem vindos!”, acrescentou parabenizando os recém-formados em nome de toda Diretoria do Cremero.

O tão sonhado CRM

O termo que se refere ao Conselho Regional de Medicina é um registro que o médico deve possuir após obter o diploma. Assim que atestado pela Instituição de Ensino sua conclusão de curso, todo médico deve se inscrever no CRM de seu Estado, apresentar os documentos necessários e então receber essa liberação para trabalhar na área da saúde. O registro é obrigatório por lei e fornece um número de CRM, que deverá estar sempre explícito junto ao seu carimbo. Através do CRM os pacientes podem confirmar se seu médico está legalizado no Conselho Federal de Medicina.

Adiantamento da Colação de Grau

De acordo com o MEC, a medida tem caráter excepcional e valerá enquanto durar a situação de emergência na saúde pública e servirá exclusivamente para atuação no combate ao novo coronavírus. A carga horária dedicada no combate à pandemia deverá ser computada pelas instituições de ensino para complementar o estágio curricular obrigatório.

Em resumo, sem disciplinas pendentes e com 75% das horas de internato cumpridas, as instituições de ensino tanto particulares quanto públicas podem efetuar a conclusão do curso para estes alunos.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cremero