Por telefone, nesta manhã de 4ª feira, um repórter do expressaorondonia.com.br ouviu várias pessoas em Porto Velho a respeito do pronunciamento presidencial

PORTO VELHO – “Você assistiu ao discurso do Bolsonaro”, “ou tomou conhecimento” e “o que achou?”. Por telefone, e presencialmente, nesta manhã de 4ª feira, um repórter do expressaorondonia.com.br ouviu várias pessoas em Porto Velho a respeito do pronunciamento presidencial, e, claro, a repercussão nos noticiários e nas redes sociais.

As opiniões são as mais variadas. Mas de todo o modo é fácil verificar que houve uma falta de entendimento da fala presidencial. “O problema é que muita gente não está acostumado a ver um presidente botar a cara a tapa”, disse um dos ouvidos. “Ele foi claro em dizer que o grupo de risco deve ser protegido e isolado. Mas que os saudáveis devem voltar ao trabalho, até para evitar problemas mais graves à frente”.

Há os que condenam, no argumento de que “ele está liquidado politicamente”, como disse um estudante de História da Unir, usando uma camiseta com a efígie do Guevara. Pelo telefone, a guajaramirense Maria Cardoso disse que o discurso tem de ser visto pelos dois lados. “Nós estamos assustados. Tenho certeza que se anunciarem que as aulas voltam hoje poucos pais vão mandar os filhos para a escola. Por outro lado, qualquer dia vai faltar comida. Temos de ser coerentes antes de criticar”.

O professor Francisco Matias comparou o discurso presidencial a um soldado que “vá marchando de passo errado”, lembrando que todos devemos nos cuidar. A comerciária Ana Peixoto concorda com Matias, mas lembrou outro lado, “é preciso a gente manter o emprego, mas como manter emprego se ninguém vem comprar?”.

Horácio Veiga, morador de Ariquemes, mesmo dizendo que o “Bolsonaro pegou pesado”, fez um questionamento: “Quem vai pagar a conta? Temos de um lado a necessidade de combater a doença e, de outro, de gerar meios para combater. O certo é seguir orientações, mas alguém tem de produzir”.

O jornalista José Cavalcante opinou: “Os caras cobram jornalismo com seriedade, mas é só dar uma olhada no que dizem na Globo e no Uol que se nota que há uma clara tendência de se olhar só para um lado. Na uol está a repercussão da reunião virtual do Bolsonaro com governadores do Sudeste, mas só ouviram sobre o assunto os de sempre que criticam tudo que o governo faz. Aí não dá para acreditar”.

Socorro Vieira, aposentada, disse que o presidente está certo. “Achei corretíssima a medida do governo para o povo voltar ao trabalho, crianças para a escola. Nós idosos já passamos por muitas epidemias, e nem se tinha as condições científica de hoje. É preciso sermos coerentes, não ficar só criticando porque se perdeu eleição. Imagina se eles tivessem ganho em 2018…”