A empresa SIM descumpriu o contrato com o município e entregou os ônibus antes da data prevista.

PORTO VELHO – Pelo menos 85 mil passageiros de transporte coletivo de Porto Velho voltaram a ficar sem ônibus na manhã desta quarta-feira. O Consórcio SIM, que atendia precariamente o serviço de transporte coletivo na Capital, retirou os últimos 19 ônibus que ainda circulavam na cidade. De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran) a cidade está sem transporte depois que a empresa SIM descumpriu o contrato com o município e entregou os ônibus antes da data prevista.

Com a retirada dos ônibus os passageiros de Porto Velho ficaram sem transporte, pois a nova empresa (vencedora da licitação) só deve começar atuar na cidade a partir de 17 de outubro. A prefeitura afirmou que vai se posicionar sobre retirada dos ônibus e quebra contratual do SIM durante a tarde desta quarta-feira, 23.

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), informou por meio de nota que foi confirmada a paralisação do serviço de transporte público urbano nesta quarta-feira (23) pelo Consórcio SIM. Há semanas, o trabalho ocorria com o funcionamento da frota reduzida e não superava 10 carros (ônibus).

NOTA DA PREFEITURA

A nova empresa que é irá administrar o novo transporte coletivo, a JTP Transportes Serviços, Gerenciamento e Recursos Humanos Ltda., tem um prazo regulamentar até o dia 17 de outubro para assumir o serviço. Mas, em razão da gravidade e urgência da atual situação enfrentada pela população, a Prefeitura está empenhando todos os esforços possíveis para antecipar esse atendimento por parte da empresa.

O Executivo ressalta que se não fosse uma decisão judicial que atrasou em 36 dias o início do serviço, uma nova realidade com relação ao transporte coletivo já estaria sendo vivenciada. A expectativa é que ainda no início do mês de outubro seja possível a disponibilização de 50 a 60 ônibus para um atendimento aos usuários com mais dignidade e respeito, informou a nota.

A nova frota é composta por 143, dos quais 140 são zero quilômetro. Os novos ônibus que chegaram na Capital são equipados com ar condicionado, tomadas USB (para carregar a bateria de celulares), sistema de wifi e acessibilidade para os cadeirantes. A tarifa do transporte coletivo também vai mudar em outubro. O bilhete vai aumentar de R$ 3,80 para R$ 4,05.

Com informações da Redação / Diário da Amazônia