Além dos 14 de porto Velho, há ainda registros positivos em Rolim de Moura, Vilhena, Jaru e Ji-Paraná

PORTO VELHO – Como já estava previsto pelas autoridades de saúde, os casos de contaminação pelo coronavirus começam a crescer progressivamente em Rondônia. Nesta segunda-feira, 6, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) confirma mais quatro casos positivos do Covid-19 em Porto Velho, elevando para 14 o número de infectados na cidade.

© REUTERS / Lindsey Wasson/direitos reservados

Os novos pacientes são três homens (26, 29 e 36 anos) e uma mulher (44 anos). O exame que atestou o diagnóstico foi realizado em laboratório particular credenciado pelo Ministério da Saúde. Todos os casos já estão notificados no sistema nacional do Ministério da Saúde.

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) e Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da Semusa estão em contato com os pacientes e familiares, orientando sobre as medidas que precisam ser adotadas para que haja o bloqueio da cadeia de transmissão do vírus.

Por outro lado, agora são 18 os casos confirmados em todo o Estado, além dos 14 da Capital, há ainda registros positivos em Rolim de Moura, Vilhena, Jaru e Ji-Paraná.

Sem internações graves, sete pacientes foram curados da Covid-19

Em meio a tantos bombardeios com notícias preocupantes sobre a pandemia do coronavírus, a esperança se mostra presente diante do cenário de incertezas. Sete pacientes de Rondônia confirmados com a doença são considerados, agora, curados, já que não apresentam mais sintomas e respeitaram a recomendação do isolamento domiciliar por no mínimo 14 dias.

A notícia foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), durante coletiva de imprensa na segunda-feira (6), representada pelo secretário Fernando Máximo e a assessora técnica e enfermeira Clívia Roberta.

Segundo Clívia, de acordo com o último Boletim do Ministério da Saúde nº 5, todos os pacientes confirmados que respeitaram o isolamento e não apresentam mais sintomas de Covid-19 são considerados curados, bem como pacientes internados que tiveram alta médica. Este último não é o caso de Rondônia. “Todos os nossos pacientes confirmados apresentaram sintomas leves, o que não requer internação. E de acordo com o Ministério da Saúde, não transmitem mais o vírus para os demais”.

Dos sete pacientes curados, cinco são de Porto Velho. Ainda na coletiva, Fernando Máximo tranquilizou a população quanto às ações de prevenção que foram tomadas antes de qualquer confirmação da doença.

“Mesmo sem internações, já disponibilizamos leitos novos e equipados. Temos 19 leitos no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), e outros que serão disponibilizados na Unidade de Assistência Médica Intensiva (AMI 24H), que funcionará como retaguarda, além de 18 no Hospital Regional de Cacoal (HRC) e estamos preparando mais 200 leitos extras. Esperamos não ter que usar nenhum deles, mas se for necessário estaremos prontos”, assegurou o secretário de Saúde.

PRECONCEITO

Tudo o que é desconhecido contribui para a criação de um pré-conceito, julgamento sem dados ou base de conhecimento. Ao redor do mundo os casos de preconceito contra pacientes infectados, ou até mesmo curados de Covid-19, chamam a atenção. Segundo especialistas o sentimento de medo tem dominado as pessoas.

“O medo faz com que as pessoas distorçam a realidade e passem a visualizar coisas que podem não ser reais. Neste momento é preciso estar alerta, mas também manter a calma, adotando medidas preventivas e orientando os demais sobre como ajudar, ao invés de julgar as vítimas da doença”, ressaltou a psicóloga Anne Cleyanne Alves.

SINTOMAS E CUIDADOS

Ao sentir sintomas como tosse, dificuldade para respirar, escarro, coriza, congestão nasal, dificuldade para deglutir, dor de garganta, entre outros, procure o Centro de Informações e Estratégias de Vigilância em Saúde (Cievs) do seu município ou pelo Disk Cievs.  As equipes disponíveis 24 horas por dia darão as orientações sobre os procedimentos a serem tomados.

E para se prevenir da doença, adote medidas de higiene, como lavar as mãos regularmente com água e sabão, além de usar álcool em gel, respeitar a quarentena e evitar ao máximo aglomeração de pessoas.