Se recuperando em casa da Covid-19, prefeito explica atendimento a sintomáticos na rede municipal e faz apelo à população; primeira-dama contraiu o vírus, mas não teve sintomas; filhos e sogra testaram negativo

VILHENA – Após dois internados na área de isolamento para pacientes com covid-19, o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês, recebeu alta está sendo tratado em casa, obedecendo a todas as recomendações médicas para preservar os familiares. A esposa do prefeito também testou positivo para coronavírus, mas não apresentou nenhum sintoma.

Prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês, com a esposa e devidamente paramentados com a máscara. Agora, se recuperando em casa

Ao se internar no hospital público, para onde a maioria da população da cidade recorre quando precisa, o prefeito Eduardo Japonês dá um tapa de luva na cara de muitos políticos demagogos, que não gere com decência a saúde que atende o povão, porque quando fica doente pega um avião e vai para os melhores centros de saúde do país.

“O prefeito tem condições e poderia ter ido para São Paulo. Mas é um homem simples e preferiu ficar no mesmo hospital que a maioria da população dispõe”, disse um jornalista da cidade, ouvido pelo expressaorondonia,com,br.

Enquanto isso, em Porto Velho, onde a saúde da população sempre fora tratada com desleixo, o prefeito nunca deu atenção que a população merece e agora tenta fechar o comércio na marra, alegando que precisa de mais 14 dias para estruturar o sistema de saúde.

Como assim? Se não melhorou o sistema em quase quatro anos de administração, com o fará em 14 dias, senhor prefeito Hildon?

A reportagem do FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou, por telefone, na manhã desta quinta-feira, 25, Eduardo Japonês (PV). Após dois dias internado e isolado no Hospital Regional, em virtude de ter sido infectado pelo coronavírus, ele está em casa desde ontem.

Japonês disse que a esposa, que também foi diagnosticada com a Covid-19, não apresentou sintomas da doença. Os quatro filhos do casal, além da sogra do prefeito, de 65 anos, que mora na mesma casa, testaram negativo.

O mandatário disse que está ficando em seu quarto, e alerta para os cuidados com a doença. “Para uns, os sintomas são fracos, outros nem sentem, mas há pessoas que sentem bastante a doença. Não adianta bancar o macho, porque isso pode matar. Então, reforço o pedido para que a população faça o máximo e se proteja”.

ONDE BUSCAR AJUDA?

Japonês explicou como devem proceder as pessoas que apresentarem sintomas da Covid-19: “o protocolo do Ministério da Saúde, que nós adotamos, manda que os pacientes procurem os postinhos perto de suas casas. De lá, eles são encaminhados para a ala do covid no Hospital Regional. Nos casos analisados pelos médicos e considerados graves, o paciente é internado imediatamente”.

A reportagem questionou se não é um risco pessoas com sintomas fortes irem aos postos de saúde, onde gestantes e crianças são atendidas, e o prefeito esclareceu: “esse é o protocolo do Ministério da Saúde, e nós adotamos, porque agiliza o atendimento”, disse, antes de aconselhar: “o melhor para quem está com sintomas leves é fazer o tratamento em casa, tomando todos os cuidados”.

KIT DE MEDICAMENTOS

Eduardo explicou que, ao buscar atendimento na rede municipal, todos os que apresentam sintomas recebem um kit contendo hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, mesmo que os exames confirmando a doença não tenham ficado prontos. Ele disse que esses medicamentos, usados para os sintomáticos, ajudam a combater os efeitos do vírus, enfraquecendo-o antes que ele agrave o quadro do paciente.

ESTRUTURA

O prefeito voltou a elogiar o investimento feito por sua gestão, a fim de acolher e tratar os infectados pelo coronavírus. Ele disse que houve casos de pacientes que decidiram, por conta própria, buscar tratamento fora do Estado, mas ressalvou: “vai do desejo e da condição financeira de cada um, mas eu, que me tratei lá, posso garantir que temos o suficiente para atender a população”.

O prefeito lembrou que o pastor evangélico que foi vítima da doença morreu ao lado dele, mas garante que o religioso recebeu o mesmo tratamento dispensado a todos os pacientes. “Por isso que precisamos nos cuidar. Ninguém sabe quem terá o organismo mais afetado”.

Com informações do Folha do Sul On Line