PORTO VELHO – Faltando menos de um mês para lançar o edital para informar o número de vagas disponíveis para a comunidade, a direção e professores que atuam no colégio Tiradentes da Polícia Militar VII comemoram os resultados apresentados pelos alunos durante o primeiro ano de funcionamento da instituição que funciona no bairro Areal, em Porto Velho, no prédio da antiga escola Manaus.

Alunos do Colégio Tiradentes da Polícia Militar VII

Sued Santos Rocha de Souza, diretor da escola, conhecido por todos como capitão Rocha, explica que pais e alunos estão adaptados à nova rotina e o resultado começa a ser percebido. Desde a recepção dos alunos para com os visitantes e até no quesito mais esperado pelos professores: as notas. “Antes era difícil controlar. Eles ainda são um pouco agitados, mas mudou bastante, está mais fácil lecionar, trabalhar com eles. Os alunos cumprem as atividades e hoje percebemos que os pais estão mais participativos, isso ajuda muito, eles melhoraram até as notas”, garante a professora Tânia Rogeth Gois de Oliveira.

Um dos segredos, de acordo com o capitão Rocha está em adotar ações simples, como não permitir que os alunos utilizem telefones celulares na escola, não permitir que corram nos corredores, cobrar a utilização de uniformes e transferir responsabilidades para os alunos, como exemplo, com o uniforme e higiene pessoal.

Fernando Braion, aluno do 5° ano percebe que houve mudança em suas atitudes rotineiras: “Antes eu não estava nem aí. Não dava bom dia para minha mãe, não pedia a bênção. Agora eu mesmo faço minhas coisas, cuido do meu uniforme porque aprendi que é minha responsabilidade”, declara Fernando.

Já Emily Larissa, também aluna do 5° ano, menciona melhora no ambiente em sala de aula como um todo: “antes era meio bagunçado, melhorou bastante, está bem melhor que antes”.

Capitão Rocha e os pequenos alunos do Ensino Fundamental, na hora do intervalo

O resultado é realmente impressionante. Passear pelos corredores da escola para conhecer a estrutura enquanto os alunos estão em sala, nem de longe parece que se trata de alunos do ensino fundamental. “Trabalhamos no sentido de propor disciplina, cumprimento de horário e respeito. A receptividade é alta, tantos dos alunos quanto dos pais”, diz o capitão Rocha.

O diretor explica que os pais atribuem crédito a melhora no comportamento dos alunos à escola, mas todos sabem que não é “do dia para a noite”. “Os pais relatam ordem e melhor cumprimento de normas e regras, mas a escola é disciplinada. Quando percebemos dificuldade de cumprimento, os pais são chamados e falamos da necessidade de aplicar medidas suspensivas, que geralmente são trabalhos na escola, como ajudar na organização da biblioteca ou na administração da escola, os pais compreendem e apoiam”, diz.

ATIVIDADES ESPORTIVAS E DE LAZER

Mas o diretor atribuiu outros fatores como positivos para manter a motivação e a autoestima dos alunos, como a realização de atividades extracurriculares, realizadas fora de sala de aula. Por isso, em 2018, foram implementados projetos de taekwondo, pelo qual Rondônia foi representada pelos alunos do Colégio Tiradentes no Jogos Escolares de Rondônia, e em competições no estado do Acre. “Nossos alunos se destacaram em competições em várias modalidades”, relata orgulhoso. Além do tae-kwon-do, os alunos tiveram aulas de luta romana e capoeira. “Tivemos o exemplo de um aluno que conseguiu adquirir seis medalhas”.

Atividades esportivas, na quadra da Escola

Um marco, de acordo com o diretor, foi durante as comemorações alusivas ao dia 7 de Setembro: “os alunos queriam desfilar em massa e não sabíamos como fazer isso. Eles se comprometeram e os pais compraram as boinas, porque a escola não tinha mais para doar. E foram lá, representaram o colégio, vestiram a camisa”, recorda.

O capitão Rocha explica que, sempre que possível, a direção busca envolver os alunos em atitudes esportivas e de lazer. “Este ano visitamos a sede do Sipam, o Museu Natural do Parque Ecológico e a Hidrelétrica Santo Antônio”.

Para 2019 está previsto o funcionamento de um ateliê e de uma oficina de arte, além da revitalização da horta da escola que funcionará como uma sala de aula aberta e já está prevista no projeto pedagógico da escola. Também está previsto o funcionamento da sala de informática que conta com a parceria com o Tribunal de Justiça de Rondônia que este ano doou os equipamentos para o laboratório de informática.

FUNCIONAMENTO

A escola começou a funcionar no dia 25 de julho de 2017 e atualmente possui 656 alunos, matriculados nos três turnos, incluindo os alunos do projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para o próximo ano, o edital que prevê a quantidade de novas vagas e calendário de matrículas será divulgado no início do mês de dezembro. O critério para a distribuição de vagas será por meio de sorteio, com um diferencial: 70% das vagas são inicialmente para alunos que residem nas proximidades da escola, no bairro Areal.