PORTO VELHO – O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) foi premiado na categoria Ouro após obter 444 pontos na avaliação do “Selo Justiça em Números 2017”. O prêmio reconhece o investimento na gestão, informação e transparência.

A entrega foi feita durante o XI Encontro Nacional do Poder Judiciário, em Brasília. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) concedeu o prêmio a 89 tribunais durante o XI Encontro Nacional do Poder Judiciário. Os tribunais receberam premiação distribuída nas categorias Diamante, Ouro, Prata e Bronze.

Magistrados e servidores do TJRO participaram da solenidade e receberam a premiação. O corregedor-geral da Justiça, Hiram Marques, o desembargador Alexandre Miguel, os juízes auxiliares da corregedoria, Danilo Paccini e Cristiano Mazzini, a Secretária Especial de Planejamento, Orçamento e Gestão Estratégica, Rosângela Vieira de Souza, e a coordenadora de Gestão de Planos e Projetos da Sepog, Angelina Brito, representaram o Poder Judiciário estadual nesta importante conquista.

Para o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador Sansão Saldanha, o selo reflete o esforço da atual gestão pela modernização. “O investimento na tecnologia fez uma enorme diferença nos resultados. Foram mais de 80 milhões de reais nessa área, porém o desempenho de magistrados e servidores devem ser reconhecidos no alcance da premiação”, destacou.

Critérios

Todos os tribunais forneceram informações ao CNJ, conforme a Portaria 46/2017. Para conceder o selo, o Conselho avalia o encaminhamento adequado das informações constantes no Sistema de Estatística do Poder Judiciário (SIESPJ), dentre outros itens como o nível de informatização do tribunal, o uso de relatórios estatísticos para o planejamento estratégico e o cumprimento de resoluções do CNJ alinhados à gestão da informação.

O corregedor-geral da Justiça, Hiram Marques, o desembargador Alexandre Miguel, os juízes auxiliares da corregedoria, Danilo Paccini e Cristiano Mazzini, a Secretária Especial de Planejamento, Orçamento e Gestão Estratégica, Rosângela Vieira de Souza, e a coordenadora de Gestão de Planos e Projetos da Sepog, Angelina Brito, na solenidade de premiação

Os itens não alcançados na pontuação já estão sendo objetos de ajustes para o cumprimento do TJRO. “Nossos esforços são agora pelo alinhamento estatístico com o CNJ, que muitas vezes pedem dados diferentes dos gerados pelos sistemas”, esclareceu o presidente do TJRO.

O Selo

O Selo Justiça em Números é conferido aos tribunais desde 2013, com o objetivo de fomentar a qualidade dos dados estatísticos do Judiciário, sobretudo referentes ao Relatório Justiça em Números.