O sindicato dos soldados da borracha tem sido a voz permanente da categoria no Brasil. Desde o ano de 2011, inúmeras ações têm sido realizadas em defesa dos direitos dos homens do antigo Exército da Borracha.

Nos últimos anos, a entidade abriu caminhos para que o Brasil conhecesse mais a história e as pautas da classe, sua diretoria participou ativamente de várias audiências.

No ano de 2013, o sindicato se fez presente na Comissão Interamericana dos Direitos Humanos em Washington, na ocasião, denunciou as graves violações que foram cometidas aos soldados da borracha espalhados pelo país afora, sendo assim, nas Cortes da OEA foi a procura de socorro à categoria.

Nos anos de 2016 e 2017, construiu abaixo-assinados em busca de direitos, onde agendas programadas em vários Ministérios da Capital Federal foram espaços para reivindicação. Nesse Limiar, a entidade vem visitando vários soldados da borracha em pontos diversos da Amazônia, identificando problemas, erguendo reuniões e colhendo reivindicações do povo que descende de homens e mulheres que extraíram látex, tudo, no intuito de alavancar a luta.

Sabe-se, da grande injustiça cometida pelas autoridades brasileiras aos homens e mulheres que participaram da famosa Batalha da Borracha, daqueles(as), cuja a tarefa árdua não fugiram à luta. Desse modo, produziram borracha na época da Segunda Guerra Mundial para Salvar o mundo, sonharam com um dia melhor.

A duras penas, a Amazônia foi rasgada, pouco a pouco povoada, o trabalho bruto, as selvas palustres e o sistema de trabalho cativo fez perecer milhares de vidas que se entregaram cegamente a construir um país soberano.
Neste quadro, o desafio é gigantesco, não tendo outro caminho, se não, o caminho da luta.

Em cada família de soldado da borracha repousa o direito inalienável de cobrar do Brasil os esforços que a categoria dos soldados da borracha fizeram à nação, e a única via para a vitória é a união e a organização de todos.
SÓ A LUA FAZ VALER!